domingo, dezembro 29, 2013

- Não há nada mais insondável, mais arredio do entendimento, do que aquilo que nos excita sexualmente. Não julgo ninguém. E, sim, sei o que possas pensar... ninguém quer dizer mesmo ninguém.

Sem comentários: