quarta-feira, setembro 04, 2013

uma palavrinha sobre os fazedores de poemas rápidos e modernos

é muito fácil parecer moderno/ enquanto se é o maior idiota jamais nascido;/ eu sei; eu joguei fora um material horrível/ mas não tão horrível como o que leio nas revistas;/ eu tenho uma honestidade interior nascida de putas e hospitais/ que não me deixará fingir que sou/ uma coisa que não sou —/ o que seria um duplo fracasso: o fracasso de uma pessoa/ na poesia/ e o fracasso de uma pessoa/ na vida./ e quando você falha na poesia/ você erra a vida,/ e quando você falha na vida/ você nunca nasceu/ não importa o nome que sua mãe lhe deu./ as arquibancadas estão cheias de mortos/ aclamando um vencedor/ esperando um número que os carregue de volta/ para a vida,/ mas não é tão fácil assim —/ tal como no poema/ se você está morto/ você podia também ser enterrado/ e jogar fora a máquina de escrever/ e parar de se enganar com/ poemas cavalos mulheres a vida:/ você está entulhando a saída — portanto saia logo/ e desista das/ poucas preciosas/ páginas. Charles Bukowski

Sem comentários: