sexta-feira, setembro 27, 2013

Uma história real. Num bairro social, o miserável denuncia o pobre por este alegadamente gastar o dinheiro do rendimento mínimo em álcool e ter outros biscates. Já sabíamos que, mormente em alturas de crise, a raiva social é sempre encaminhada para o vizinho socioeconómico que vive portas-meias. De todas as marcas deixadas pelo actual Governo, destaco a destruição dos laços sociais - os novos contra velhos; os desempregados contra precários; os precários contra efectivos; os públicos (que se quer pôr em média a trabalhar o máximo legal do privado; média/máximo e não média/média) contra privados; os pobres contra miseráveis.

1 comentário:

Tatis disse...

"Em casa aonde não há pão todos brigam e ninguém tem razão". O problema é o país não ter dinheiro.