sexta-feira, setembro 20, 2013

Natália Rediviva «"O Botequim da Liberdade", belíssimo livro de Fernando Dacosta (Casa das Letras Editores), recupera o ambiente, a atmosfera, o espírito do lugar e a memória das pessoas que frequentaram o espaço, criado por Natália Correia, no Largo da Graça. É, também, a recriação de uma época em que tantas coisas, tantas questões e tantas dúvidas foram postas em causa, problematizadas por gente de alta qualidade, que apreciava a discussão pela discussão com elegância e cortesia, mas com veemência e convicção. O Botequim da Natália foi a decorrência directa das tertúlias que a grande poetisa e ensaísta animou, durante anos, na sua residência. Por ali passou, discutiu e conspirou o melhor da estirpe cultural, moral, artística e política daquele tempo. Henry Miller lá esteve, numa das noites mais felizes do convívio estabelecido em volta da poderosa criadora de "Cântico do País Emerso", autora, igualmente, do ensaio sobre o barroco, editado pela Moraes, do melhor e mais original que, sobre o tema, em Portugal, foi publicado. Há um tenebroso esquecimento da importância da Natália na cultura, mas também na ética da liberdade, por ela pleiteada com coragem e brilho incomuns. Fernando Dacosta recupera episódios que, para alguns, podem parecer "petite histoire", mas que constituem informações definitivas acerca do carácter de uma mulher indomável, para a qual o conceito de ser livre era uma expressão marcada de filosofia de vida e uma estética. Uma mulher de rara beleza, que deixava atrás de si um halo de mistério e deslumbramento. Com a minúcia de um entomologista, Dacosta realiza o filme dos sentimentos, das acções e dos comportamentos de muitos de nós, sem aleivosia e com a atenção curiosa, por vezes irónica, do repórter que anota o quotidiano como elemento de História. Um livro fascinante a vários títulos, a merecer a meditação empenhada dos leitores. E uma comovida memória daquela grande senhora portuguesa. Sei do que falo porque estive lá, no Botequim, e nessa época fabulosa. Neste tempo de injúria e opróbrio, é urgente regressarmos à lição de Natália Correia.» Baptista-Bastos

1 comentário:

Anónimo disse...

Neste tempo de injúria e opróbrio, é urgente regressarmos à lição de Natália Correia.» Baptista-Bastos

Um bom texto, estragado pela lição de moral de um reconhecidamente imoral.