terça-feira, setembro 17, 2013

Camus dizia que para o crime do indivíduo se equiparar ao crime da pena de morte perpetrado pelo Estado implicava que um ser humano reunisse um série de criaturas, as enclausurasse, cada um sabendo que ia morrer, mas não quando, vendo, um por um, todos os outros se encaminharem na direcção da morte, tão inevitável quanto a sua.

1 comentário:

Anónimo disse...

a pena de morte é abjecta sob qualquer perspectiva...