terça-feira, agosto 13, 2013

- Se a felicidade é o intervalo entre as ocupações; sou profundamente infeliz; se a felicidade é como estamos na maior parte do tempo; sou feliz. Passo o dia a trabalhar. O resto a dormir. Mesmo a comer, estou em pequenas reuniões, a despachar assuntos ao telefone e a pensar que não tarda nada estou a trabalhar. Estando no «palco», as coisas são óptimas, ter coisas para fazer e fazê-las, assuntos para resolver e resolvê-los, uma efervescência danada. O melhor são as segundas. O pior é o regresso a casa, o conduzir sem um assunto que possa resolver, as idas à casa de banho em que tenho de me enfrentar só, os sábados longos... Mas regresso sempre ao trabalho e esqueço isso e sinto-me útil, organizado e com um auto-respeito sólido.

3 comentários:

Anónimo disse...

É sem dúvida uma pessoa feliz, porque tem um trabalho de que gosta muito.

Anónimo disse...

É sem duvida uma pessoa infeliz porque só tem o trabalho.

Anónimo disse...

sim, sob essa perspetiva parece haver um certo vazio, mas nada que não se possa preencher com uma boa leitura...