quinta-feira, agosto 01, 2013

Kafka, o prazer de um chocolate preto

«Muitos se queixam de que as palavras dos sábios frequentemente são apenas parábolas, mas sem utilidade para a nossa vida do dia a dia, que é, afinal, a única que temos. Quando o sábio diz: "Passa para o outro lado", não quer dizer que devemos ir para a outra margem, coisa que sempre poderíamos fazer, se o resultado do caminho valesse a pena. Refere-se, sim, a um lendário outro lado, a qualquer coisa que não conhecemos, que nem ele próprio consegue definir de forma mais exacta, e que por isso não nos serve de nada neste mundo. Todas essas parábolas querem dizer, no fundo, que o inexplicável é inexplicável, e isso já nós sabíamos. Mas aquilo que nos dá que fazer todos os dias são outras coisas. Ao que alguém disse: "Porquê toda essa resistência? Se vos deixásseis guiar pelas parábolas, transformar-vos-íeis vós próprios em parábolas e ficaríeis livres das canseiras diárias." E um outro respondeu: "Aposto que também isso é uma parábola." O primeiro: "Ganhaste." O segundo: "Sim, mas infelizmente só na parábola." O primeiro: "Não, na realidade. Na parábola perdeste."»

1 comentário:

Anónimo disse...

Confesso que a digestão deste chocolate preto não foi directa...