sexta-feira, agosto 02, 2013

1 comentário:

Anónimo disse...

Uma das músicas mais tristes e geniais que conheço.
Nunca esqueci uma entrevista do tempo deste álbum (songs of love and hate), na qual Cohen - sem nunca esboçar o mínimo sorriso - dizia que que não havia tido uma depressão, mas que vivia em depressão, que essa era a sua condição natural. Fez-me pensar.