segunda-feira, julho 01, 2013

Da maledicência dos cafés ociosos (conversas interceptadas)

- Já viste a namorada do Miguel? - Ai, nem me digas nada. Tem umas olheiras. - E magra, é tão magra. - Que amostra de gente. Credo, mete medo ao assusto. Quando a vi aqui, aqueles olhos, aquela palidez, ao menos podia pintá-los, pôr maquilhagem. - E tem uma pele. Viste as mãos? Pele seca. E tremia a segurar a chávena. - O que é o que Miguel anda a fazer com ela, poça. - Eu não entendo aquele homem. Então agora que está desempregado pede jarros de sangria. Mas de onde é que lhe vem o dinheiro? - Ele não tem dinheiro para isso. Ele está maluco. Deve andar nalgum esquema ou a estoirar o dinheiro de alguém. - Eu digo-te uma coisa. Eu trabalho e não consumo como ele aqui. Ai, podes querer que não.

2 comentários:

Anónimo disse...

podes "querer"???

Anónimo disse...

:)