segunda-feira, junho 17, 2013

Uma vez, num recital de poesia, ouvi um poema que terminava com «Feliz aquele que no fim da sua vida pode dizer uma só palavra». A ideia: quem viveu por (diferente viver por de viver para, tão diferente) um palavra. Será? Certos religiosos vivem assim, alguns comunistas vivem ou viveram assim, alguns românticos terão vivido a palavra do nome do seu amor, o escritor vive assim.

1 comentário:

Anónimo disse...

"My whole theory of writing I can sum up in one sentence. An author ought to write for the youth of his own generation, the critics of the next and the schoolmasters of ever afterward." F. Scott Fitzgerald