domingo, junho 16, 2013

Sentindo um olhar de lupa sobre si, disparou: - Não me olhes assim, porra; sou sujeito, não objecto.

2 comentários:

Anónimo disse...

Bem, se o sujeito for muito além dos outros e de si próprio, transformar-se-á inevitavelmente em objecto...

pedro coelho disse...

Consegui,sem dificuldade, identificar olhares e olhares sem fim, todos a verem-me como objeto.