segunda-feira, junho 03, 2013

«Herberto Helder... Essa coisa de se auto-octogenar e de se manter absoluto, andando vivo e lúcido... E o que é mais giroscópio é o facto de o poeta continuar a perceber a tessitura da vida... Esse entendimento vívido, pleno, para lá e para cá do além... o zénite do todo, do tudo.... Este homem, sendo, consegue helderizar a vida. Pois é, este homem é Portugal! Precisamos nos helderizar também, abrir os olhos em português. Mandar à merda os ensaios sobre a cegueira. Helder dá o mote. Leia-se e entenda-se.» José Alberto Braga

3 comentários:

euexisto disse...

mandar à merda os ensaios sobre a cegueira é muito forte. há aí uma antipatia grave em relação ao melhor

Sr Joao disse...

ao melhor?

euexisto disse...

segundo os tipos que laureiam.