quarta-feira, maio 08, 2013

Sobre o Inferno II

Só um Inferno não é suportável: o Inferno em que não habita a esperança. Nele, futuro e presente fundem-se - o horror é então um presente perpétuo. Nem ao teu pior inimigo o desejarias.

3 comentários:

Anónimo disse...

Agradeço as reflexões sobre o inferno.

Soará ridículo, eu imagino: há algum tempo a saúde falhou-me, grosseiramente, mas a morte permanecia um conceito informe e distante; um dia dei comigo a pensar na inutilidade de continuar a congelar comida e foi então que senti todo o peso da ausência de futuro. Tem toda a razão: nunca desejaria esta desesperança a outra pessoa.

E o seu Bukowsky não podia ter sido mais acertado.

Sr Joao disse...

Passou?

Anónimo disse...

Sim, obrig.