sexta-feira, março 08, 2013

Creio que o mais difícil para um escritor é não produzir uma obra redonda - não andar sempre a escrever o mesmo livro, não gravitar sempre em torno dos mesmos temas, ideias, emoções. Creio que o mais difícil para um escritor é não produzir uma obra desigual - ou a obra é curta ou, se extensa, patina algures. E quando o escritor tenta produzir vários géneros - tremendamente difícil manter-se na corda do funambulista. Prosa e poesia - é como se a mão tivesse de escolher um dos dois caminhos.

Sem comentários: