domingo, dezembro 23, 2012

A teoria da tampa

Quando um dia fui a uma repartição das finanças com ele, fiquei espantado com a paciência que demonstrou perante a petulância e falta de cooperação do funcionário. Cá fora, ele disse-me:
- Angel, tens de ver que esta pessoa pode ter estado a aturar pessoas mal-educadas e burras o dia todo. A tampa dele podia estar já perto da tona quando me atendeu. Aquilo que para mim era uma incógnita para ele era óbvio e ele podia estar cansado de debitar obviedades hoje, basta ter tido clientes mais chatos hoje.
Quando via uma pessoa a tratar mal outra, o patrão o empregado, o empregado o patrão, o marido a mulher, a mulher o marido:
- Não julgues. Não sabes o que está por trás disto. Só vês o último instante, não sabes o longo caudal de manipulação, abuso, maus tratos que estão por trás disto. Qualquer coisa fez saltar a tampa.
Para ele, todos tempos a nossa tampa e todos vamos acumulando na panela - e, muito importante, o tamanho da panela de cada um varia. É a pessoa mais compreensiva que conheço.

Sem comentários: