domingo, maio 06, 2012

Muita boa gente argumentativa espalda-se sempre no falacioso mas-onde-é-que-acaba-A-e-começa-B? como forma de gerar a dúvida sobre a existência de A e de B. Não leram Freud. «"Há tantas gradações em iluminação - da mais ofuscante e brilhante luz ao mais indistinto bruxuleio - que, portanto, não existe a coisa chamada escuridão"; ou: "Existem graus variáveis de vitalidade; portanto, não existe a coisa chamada morte.", parodiava em O Ego e o Id.

Sem comentários: