sexta-feira, abril 01, 2011

Bruno é nazi. Odeia os mais fracos, as minorias, os vencidos da vida. A namorada diz a medo aos conhecidos: ele é muito inseguro e tem tanta raiva da sua fragilidade que a quer matar nos outros.

Diana é uma sedutora compulsiva. 95% dos jogos que alimenta são inconsequentes - servem apenas de carne para os tentáculos do tubarão do seu ego. Estranhamente ou não, Diana faz estes jogos com totós, verdes emocionais e românticos idealistas incuráveis. Dir-se-á: porque são presas mais fáceis. Numa noite etílica, Diana confessou que foi durante adolescência muito romântica e crente nos homens - e que tinha raiva de se ter amachucado tanto por ser assim. Hoje, vinga-se nos que eram iguais a si no passado - como se quisesse punir os sentimentos que a fizeram sofrer.

Rui é um patrão que é extremamente tolerante, menos com faltas de pontualidade. Fica fulo. É a única coisa que nunca conseguiu corrigir em si: adormecer quase todos os dias para lá da hora a que queria chegar ao trabalho.

2 comentários:

Anónimo disse...

A pontualidade é a cortesia dos reis. Expressão popular desconhecida da maior parte dos portugueses.......

MA

Anónimo disse...

... a ideia de castigar nos outros as proprias falhas... Maquiavélico (sem desprestigio para o principe Maquiavel). O natural seria ser mais tolerante...para mim, Ganz Andere...

Joana