quinta-feira, março 31, 2011

«A essencial capacidade humana de ENTRAR EM SI MESMO(o ENSIMESMAMENTO), tende no homem a ser um ACTO, porém na mulher tem um carácter mais habitual, estável e seguro: ESTAR EM SI MESMA. O que no homem é mais um acto vectorial, na mulher é uma instalação, por isso mesmo menos perceptível. A mulher pode estar em si própria -no decisivo,ensimesmada- enquanto faz inúmeras coisas, sobretudo as que afectam a vida quotidiana, sem que isso perturbe a sua estabilidade, o seu repouso interior»

«A INTRAHITÓRIA, DOMÍNIO DA MULHER», in JULIAN MARIAS, LA MUJER Y SU SOMBRA

Sem comentários: