quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Os homens que odeiam as mulheres

1. Quando tinha 15 anos, Stieg Larsson assistiu à violação de uma mulher por um grupo de homens. Impotente, nada pode fazer. O sentimento de culpa acompanhá-lo-ia pela vida fora, apenas conseguindo contar à mulher a experiência. Viria a expiar essa culpa, escrevendo livros - com detalhes vívidos do sadismo masculino - sobre os homens que odeiam, maltratam e violentam as mulheres.

2. Certa vez, um amigo meu disse-me sobre uma amiga sua que tinha acabado de apresentar:

- Para um homem conquistar a Maria, tem de ser a antítese do macho latino.

Guardei a frase na cabeça, sem perceber o fundamento. Anos mais tarde, tomando café com a Maria, ouvi:

- Quando tinha 18 anos, namorava com um jogador de rugby. A primeira vez que tive relações com ele marcou-me para a vida inteira. Quando saí de casa, estava uma turma inteira de rugby a bater palmas, a rir-se e a chamar-me vaca. Foi o pior momento da minha vida. Ele tinha deixado a janela aberta e todos tinham estado a assistir à perda da minha virgindade.

3. Um conhecido meu irritava-me por ter um tratamento tão diferenciado ante homens e mulheres.

Eu ia-lhe dizendo:

- Tu com as mulheres és outra pessoa.

Ele nada dizia.

E eu a dar-lhe:

- Mas porque é que tu só tens amizades femininas?

E ele nada.

Um dia, teve uma discussão violenta com um homem.

- Ouve lá, tu às mulheres permites tudo e com os homens és ultra-agressivo.

Ele olhou para baixo e com lágrimas na voz disse:

- Eu vi o meu pai a bater à minha mãe durante anos. Ela teve de fazer três abortos.

2 comentários:

Luiz Guilherme Libório Alves disse...

Arrepiante...
São conhecidos reais?

Anónimo disse...

são. nada de ficção.