domingo, janeiro 16, 2011

por trás da cortina, só eu vejo
o núcleo intocado do teu encanto
sobrevivente deste mundo

(juro que se te visses através de mim
não compreenderias a tua modéstia)

Sem comentários: