sábado, janeiro 22, 2011

Penso-te com tanto ruído à volta. Como se todos quisessem interferir involuntariamente num processo que lhes é alheio. Penso-te com a rapidez das imagens que flutuam na minha cabeça. Penso-te o cheiro e a pele. Lembro-me do som da tua gargalhada provocada por mais do que duas ou três palavras banais. E o teu olhar que é enorme e me invade de uma forma que me alter(n)a.
É noite. Da janela sai um fio de luz que não me ajuda. Quero ver-te. Chego com o toque. Cheiro-te. Embriago-me.


Embriago-me. Embriago-me. Embriago-me.

A minha mão entrelaçou-se na tua e olho-nos o encaixe. É perfeito.
Continuo a pensar-te por vezes o indizível. E pedes para te dizer e tento dar a volta ao texto e às palavras que querem saltar de um peito em cheio.Sinto-te o aroma.

Quero-te.

MC

5 comentários:

Anónimo disse...

Atacas-te tanto o marido, que a sra. professora se apaixonou por ti!
ehheeheheheheheheheheh
MC = Maria Cavaco

Anónimo disse...

estes flirts internéticos transtornam-me

Anónimo disse...

Perfeita descrição... :)

V.

RS disse...

Ai, o êxtase da paixão! Embriaguez de cheiros, sabores, palpações... Autêntico cocktail resultante da mistura de afectos e de emoções tão ilógicas e intensas! :-)

Anónimo disse...

O Amor é Lindo!!!!
Pepper