quarta-feira, dezembro 15, 2010

De todas as disciplinas, a estatística é desprovida de qualquer beleza. Tira o encantamento onde se aplica. Anula o particular, o estranho, o divino. E quando o representa é sempre de forma boçal. É a prima saloia da Matemática.
Os professores de estatística deviam ter vergonha.
A estatística é o contrário do Amor. É a negação da vida. É o sabujo da taberna sempre a dar opiniões baseadas em lugares-comuns. Completamente falível, porque não exacta. Tenta estabelecer modelos para a vida. Se fosse pessoa, seria o chato numa festa. O penetra. Haverá conversa mais chata do que estatística? Só me lembro do tempo - Tem estado mais frio, não acham? O estatístico teria uma resposta.

Luís Serra Santos

5 comentários:

Anónimo disse...

A normalidade estatistica é de facto abominável! A Curva de Gauss e a sua distribuição da normalidade é um atentado ao crescimento pela diferença...
o ser humano necessita de engavetar e etiquetar para compreender, o que até me parece benéfico nas ciências exactas, agora quando entramos nas sociais... o factor humano torna tudo imprevisivel e a estatistica tenta diminuir essa imprevisibilidade de modo a que ninguém tenha que se cansar a adaptar. o mundo é massificado e os comportamentos estanderdizados! Aí de quem esteja nos extremos! O mundo é feito para a maioria...

Joana

Anónimo disse...

"estandardizados"

Joana

serrasantos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
serrasantos disse...

Acho que devemos sempre orgulharmos-nos de sermos uma excepção à regra.

Como alguém disse:
"Recuso terminantemente pertencer a essa massa mole e disforme que define o rebanho."

A mim, a estatística não apanha..

serrasantos disse...

Uma curiosidade:

Quem lida com estatística é um estatístico. Mas um "grande" estatístico recebe a denominação de estatísta.

Disse-me uma grande amiga, com um grave defeito - é precisamente professora de estatística e uma estatísta. Ninguém é perfeito..