sexta-feira, março 31, 2006

"Todos os meus botões rebentam em flor
Quando ris"

Rabindranath Tagore, Poemas
"I´m the one your mother warned you about."

Frase estampada numa t-shirt.
"numa vida esvaziada, baseada nos sonhos de outrém,
os olhos, ao invés prostrados na nuca, só vislumbram.
e o reflexo nada mais emite,
senão a realidade petrificante do sal..."

Cereja

quarta-feira, março 29, 2006

Lugar

"As mulheres têm uma assombrosa roseira / fria espalhada no ventre. / Uma quente roseira às vezes, uma planta / de treva. / Ela sobe dos pés e atravessa / a carne quebrada. / Nasce dos pés e atravessa / a carne quebrada. / Nasce dos pés, ou da vulva, ou do ânus - / e mistura-se nas águas, / no sonho da cabeça. / As mulheres pensam como uma impensada roseira / que pensa rosas. / Pensam de espinho para espinho, / param de nó em nó. / As mulheres dão folhas, recebem / um orvalho inocente. / Depois sua boca abre-se. / Verão, Outono, a onda dolorosa e ardente / das semanas, / passam por cima. As mulheres cantam / na sua alegria terrena. // Que coisa verdadeira cantam? / Elas cantam. / São fechadas e doces, mudam / de cor, anunciam a felecidade no meio da noite, / os dias rutilantes, a graça. / Com lágrimas, sangue, antigas subtilezas / e uma suavidade amarga - / as mulheres tornam impura e magnífica / nossa límpida, estéril / vida masculina. / Porque as mulheres não pensam: abrem / rosas tenebrosas, / alagam a inteligência do poema com o sangue mestrual. / São altas essas roseiras de mulheres, / inclinadas como sinos, como violinos, dentro / do som. / Dentro da sua seiva de cinza brilhante. // O pão de aveia, as maçãs no cesto, / o vinho frio, / ou a candeia sobre o silêncio. / Ou a minha tarefa sobre o tempo. / Ou o meu espírito sobre Deus. / Digo: minha vida é para as mulheres vazias, / as mulheres dos campos, os seres / fundamentais / que cantam de encontro aos sinitros / muros de Deus. / As mulheres de ofício cantante que a Deus mostram / a boca e o ânus / e a mão vermelha lavrada sobre o sexo. // Espero que o amor enleve a minha melancolia. / E flores sazonadas estalem e apodreçam / docemente no ar. / E a suavidade e a loucura parem em mim, / e depois o mundo tenha cidades antigas / que ardam na treva sua inocência lenta / e sangrenta. / Espero tirar de mim o mais veloz / apaixonamento e a inteligência mais pura. / - Porque as mulheres pensarão folhas e folhas / no campo. / Pensarão na noite molhada, / no dia luzente cheio de raios. // Vejo que a morte se inspira na carne / que a luz martela de leve. / Nessas mulheres debruçadas sobre a frescura / veemente da ilusão, / nelas – envoltas pela sua roseira em brasa - / vejo os meses que respiram. / Os meses fortes e pacientes. // Vejo os meses absorvidos pelos meses mais jovens. / Vejo meu pensamento morrendo na escarpada / treva das mulheres. // E digo: elas cantam a minha vida. / Essas mulheres estranguladas por uma beleza / incomparável. / Cantam a alegria de tudo, minha / alegria / por dentro da grande dor masculina. / Essas mulheres tornam feliz e extensa / a morte da terra. / Elas cantam a eternidade. / Cantam o sangue de uma terra exaltada."

Herberto Helder, Ou o Poema Contínuo

terça-feira, março 28, 2006

PUTAS - SANTAS (no prolongamento...)

Outro dia uma rapariga contava-me que nunca tinha visto ninguém como o Célio. Ele forjava telefonemas a raparigas quando tomava café com alguma (o motivo era óbvio: ser tomado por um homem concorrido).
Eu fui aos baús da minha memória e desencantei uma estória trágico-cómica que a minha ouvinte achou mais chocante que a dela. Um amigo meu que não tendo ninguém, tirara a corda da viola, enrolara-a e pusera-a no dedo a fazer de aliança da putativa namorada. Hoje a namorada actual e a única real que ele teve em toda a vida fala do passado deserto dele como "cheio de namoradas". Por mim, há-de morrer na falsa ilusão...
Por falar em aliança, e prepare-se o leit@r para um grande salto... :) Outro dia despoletei uma conversa sobre se seria mais ou menos vantajoso usar aliança quando se quer engatar.
Dizia-me uma interlocutora feminina, de resto secundada por todas as que subsequentemente inquiri que um homem tem mais sucesso a engatar se usar aliança. A argumentação que as minhas amigas usam é que espicaçam a concorrência, faz sentir o homem mais desejável porque mais pretendido e dá-lhes um enorme gozo poder superar a mulher que o homem (supostamente) ama...
Eu continuo a acreditar que usando aliança, para a maioria das mulheres, o objecto será mais repulsor que magnetizador... E, felizmente, já ouvi de mulheres o comentário "Ah, era um bom partido para mim... mas já está comprometido...".
Afinal, se houvesse eleições, ganharia o partido das cabras ou das sérias?

Anjo-rachador-de-lenha-das-consciências
"Uma gripe muda a face do mundo".

Fernando Pessoa ortónimo

segunda-feira, março 27, 2006

"Angel, paga... tu és o homem" - ouvi por entre um riso.

"O Angel vai passar a não gostar de ti" - alertou a amiga.

"Ando a lutar há tanto tempo para que os vossos direitos sejam iguais... e para ser coerente, tenho também de defender que tenham deveres iguais..."
"Leio para me inquietar."

José Luís Tavares, escritor cabo-verdiano, em entrevista televisiva

domingo, março 26, 2006

"- É possível substituir tudo- disse ela- , menos as recordações."

John Berendt, A cidade dos Anjos Caídos

sábado, março 25, 2006

Re-definições
"não completo as frases. continuo o parágrafo seguinte."

Cereja
"As coincidências... é onde nós as quisermos encontrar"

Pedro Calheiros, Matóides e quadrúpedes, não obrigado

sexta-feira, março 24, 2006

"Durante a paixão a oxinina saiu do sítio onde está alojada no cérebro, só aguentando no máximo três anos e meior fora dessa sua casa".

Neurocientista desbrilhando o mundo
PUTA DE MERDA


(Pela primeira vez, pensei seriamente em não escrever um texto que me apetecia escrever. Depois pensei que como sou uma pessoa que se dá com pessoas que não se conhecem entre elas, apenas duas ou três identificarão a prevericadora. Se não escrevesse o texto nomeando-a pelo nome verdadeiro, explodiria, concluí...)

Ela chama-se Andreia. Tem um ar certinho, é educada e afável, ia à missa com regularidade, mas para o olhar mais sapiciente ela tinha uma centelha demoníaca... Um novo parentisis antes que eu começe a vilipendiar essa colossal puta...
As pessoas que lêem este blog sabem que sou liberal nas relações, que não admito a traição porque esta implica ausência de verdade, mas admito relações extra-monogâmicas mútuas (!) se essa for a vontade do parceiro (a) - isso não é traição.
Descobri que a traição não é tudo igual. Não me refiro à do pensamento e da acção, porque de pensamento tod@s já cometemos... Dai que o Beatiful seja uma música que comumente tod@s compreendemos porque já experenciámos.
A diferença que descobri é entre as traições espontâneas e deliberadas. Vou entar contar a estória dessa meretriz do pénis (versão mais erudita e refinada do PUTA DO CARALHO!).
Essa puta namora. Tem um namorado rico que lhe dá presentes todas as semanas (segundo a própria). Um amigo dela que é meu conhecido, começou a mandar-lhe comentários pelo HI5... a coisa foi crescendo mas sem nunca se encontrarem e essa puta mandou-lhe uma sms muito a noite (quando ricalhaço deveria dormir) dizendo: "Podemos encontrar-nos no requinte no dia x à hora y:yy?".
Que superficialidade combinar primeiro encontro no motel da foda por excelência! - comentário 1
Que maquiavelismo e amoralidade conceber uma traição, um local, uma hora, e viver na sua antecipação durante semanas! - comentário 2

Anjo-professoral-dos-costumes-por-uma-vez-na-vida

quinta-feira, março 23, 2006

"Deus gosta de raparigas
do amanhã e da terra"

E.E. Cummings, livrodepoemas
Porque é que as mulheres criticam os homens pelas suas generalizações sexistas e depois dizem que os homens são desarrumados e só pensam com a cabeça de baixo?...

Angel
Que diria o psicólogo eminente sobre...
"Os homens também se significam da cintura para cima e das virilhas para baixo."

Cereja

quarta-feira, março 22, 2006

"60% da comunicação baseia-se em linguagem corporal"

Psicólogo eminente

terça-feira, março 21, 2006

"ter medo não é errado ou muito menos mau. é... natural. está dentro de nós. tal qual como quando um pequeno coelho assustado se depara com o lobo (hierarquicamente predador) e foge, na ânsia de resgatar a sua vida.
mas o animal humano, simplesmente não aceita que pode ter fraquezas..."

Cereja
Teoria Vs Prática

Não aprovo as traições, da mesma forma que não aprovo os crimes. Se a relação é suficientemente aberta, a minha costela liberal diz-me que se os parceiros lidam com a verdade, então não há a censurar a quem é praticante da poliandria e poligamia. Porém, a maior parte das pessoas que teoriza contra a monogomia, depois exige contraditoriamente a fidelidade do seu parceiro (a)...
Conheço uma miríade de pessoas que diz que a monogamia cansa e enjoa, e que ao fim de muitos anos há saturação sexual, que lhes agrada fazer swing, sexo grupal... mas depois quando transposto para o seu/sua parceiro(a) TÁ QUIETO!
E claro há sempre a abominável e ancestral questão de o homem poder trair à medida que vai coleccionado crachás e a mulher que traia que vai coleccionando nódoas. Enquanto o binómio estereotipado da puta/garanhão não se esboroar por completo, NADA FEITO
A minha costela liberal diz-me em síntese que na cama vale tudo menos tirar olhos entre pessoas adultas com autonomia mental... Basta lidar com verdade e nada mais que a verdade. Se se encontrar um parceiro que aceite para a sua parceiro o mesmo número de regalias e direitos, então... então estaremos parafraseando o título de um blog angeliano... aí sim, perante a mais bonita relação do mundo... Sim, porque mentalmente já tod@ (símbolo que expressas a e o) s traímos...
Outro dia um amigo deu-me a ler um artigo de jornal onde uma mulher de um jogador da NBA dizia ter-lhe dado autorização para ter UMA só escapadela nos seis meses de digressão em que não veria o seu marido. O meu amigo estava espantado e dizia "Assim, é que deveria ser!"... Eu respondi: "Só me espantaria se ela dissesse que ele tinha feito pacto onde ela poderia foder também SÓ COM UM".

Anjo-analisando-o-globo-azul...

segunda-feira, março 20, 2006

"A sensibilidade é o domínio do diverso e o entendimento o domínio do idêntico."

Fernando Gil
"Porque é que os homens nunca passaram a usar vestidos e as mulheres passaram a usar calças?"

Anjo

domingo, março 19, 2006

"a vida é como uma agulha... pequena, por vezes pontiaguda. mas sempre oferecendo uma minúscula janela por onde podemos vislumbrar o mundo."

Cereja
Sem comentários

"Dias virão em que a polémica sobre o casamento dos homossexuais nos parecerá tão abstruza quanto nos parece hoje a polémica sobre a alma dos negros ou a bruxaria".

Inês Pedrosa in Revista Única, 18-03-06

sábado, março 18, 2006

O cavaleiro Astralgildo passeava montado no seu cavalo pelo vale verdejante sem pressa... Da janela, divisou Ermengarda por entre a cortina translúcida.

- Ermengarda... - chamou em tom altissoante.

A janela abriu-se de par em par e de lá saiu o Sol do rosto de sua amada.

- Astralgido... - o sorriso de Ermengarda atingia proporções inéditas.

- Bordas?

- Não... Cozinho.

Hermano Lopes, Conversas Medievais
"É difícil encontrar uma pessoa com unhas dos pés dourados e que ame a literatura"

Anjo

sexta-feira, março 17, 2006

"A beleza que não é facilmente acessível é mais bela... No fundo, a beleza não é democratizável."

Angel

quinta-feira, março 16, 2006

"Um cavalheiro não é mais que um machista com boas maneiras"

Sr André, livreiro
"Hoje, mais do que nunca, se confunde auto-imagem com imagem corporal"

Psicólogo em discurso oral na RTPN
"Detesto pessoas muito organizadinhas e metódicas... quase tanto como as pessoas ambiciosas!"

Anjo
Inversão de papéis

Uma outrora amiga colorida minha contou-me um dia que um rapaz que a beijara um dia pela primeira vez lhe dissera meigamente logo a seguir:
-Sofia, eu amo-te...
Ela deu-lhe um grande estalo ao ouvir isto.
Era uma pessoa que contrariava a ideia de que os homens é que têm dificuldade de compromisso e as amigas dizem que ela se portava "como os rapazes".
Eu gosto de chocar as raparigas adoptando o papel feminino. Seja o "não nos estaremos a precipitar" da primeira vez que ela procura o contacto sexual, seja o "ai vais ter de esperar uma hora para eu me arranjar antes de sair" ou a sugestão de uma compra de um objecto material ostentatório. Claro que tudo isto tem de ter uma credibilíssima linguagem corporal consentânea...
Como qualquer papel social, trata-se de algo oco e inane, não determinado por qualquer carga genética hereditária ou sequer qualquer reflexão de uma mente elevada. Habituámo-nos a que fosse assim... O Agostinha da Silva chamou a isso - "a normalização deformante".
Do belíssimo sermão da montanha de Cristo, eu permito-me acrescentar um verso:
"Bem-aventurados todos aqueles que pensam pela sua própria cabeça, ignorando as pressões de grupo e as convenções sociais".

Das-nuvens-vendo-o-Verão-colidir-com-a-terra-como-um-cometa

quarta-feira, março 15, 2006

"Melhor é experimentá-lo que julgá-lo
mas julgue-o quem não o puder experimentar"

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto IX
"Nas coisas do amor somos todos fascistas"

Miguel Esteves Cardoso, Último Volume
"Somos todos mais parecidos do que supomos"

Angel

terça-feira, março 14, 2006

"Encaro a homofobia como encaro o racismo"

Angel
"Uma livraria é uma das pouquíssimas provas de que a humanidade ainda pensa"

Jerry Seinfield

sábado, março 11, 2006

FODA - SÓ QUANDO ELAS QUEREM?

http://www.kingcard.com/fem.htm

Alimentado pela constatação do real, efervescendo dentro de mim há muitos anos e raparigas atrás, este texto explodiu dentro de mim com a leitura do corrosivo link supra exposto.
A verdade é: muitas mulheres usam o sexo como ascendente, como instrumento de poder. Porquê é que isso acontece? Porque os homens deixam.
Gosto de baralhar as convenções, fazer o pino à colocação dos papéis sociais, e nesse âmbito sempre alguém me diz "Hoje não, dói-me a cabeça", um dia, não logo a seguir para não desconfiar, mas de forma espaçada no tempo eu digo: "Não me apetece".
O prazer é ou não é dividido? Quando se fode, não é suposto que o prazer seja a meias? Eu penso assim.
Da mesma forma que só existem narizes empinados porque existem passarinhos, bananas e tótós que lhes dão boleia e pagam a noite muitas vezes a troco de nada, também a subjugação masculina pelo sexo só acontece porque os homens se posicionam como cãezinhos sempre dispostos a lamber os pés com a esperança de no retorno haver um osso com um pouco de carninha...
Pensem, pensem, pensem... Não deixem que o corpo dome o vosso espírito. Ser livres implica precisamente a dominação do corpo pela mente.
Outro dia um amigo contou-me num café que foi sair com uma rapariga que gostava. Pela primeira vez a beijou. A tesão de estar com ela aos beijos e abraços foi tanta que ele foi a conduzir de regresso com uma dor nos testículos que quase o fazia chorar. Para completar esta estória, ouvi uma entrevista do escritor Pedro Paixão:
"Queria ser mulher. Segundo os sexólogos, a mulher pode atingir sete vezes e meia mais prazer do que um homem..."

Anjo-indo-aos-confins

quinta-feira, março 09, 2006

Ela tinha uma amiga
Letra: Manuela de Freitas Música: José Mário Branco

Ela tinha uma amiga chamada Maria
Que era quem me atendia quando eu telefonava
Ela tinha uma amiga chamada Maria
A quem ela dizia para dizer que não estava

E quando eu insistia, e não desligava
Era sempre a Maria
Que me mentia e me consolava
E perguntava o que é que eu lhe queria

Ela tinha uma amiga chamada Maria
Que nunca sabia por onde ela andava
Ela tinha uma amiga chamada Maria
De quem se servia quando me enganava

E quando eu lá ia, e não a encontrava
Era sempre a Maria
Que me dizia que ela não tardava
Que me jurava que ela voltaria

Quando eu ia buscá-la, e a gente saía
Era sempre a Maria que nos animava
Quando eu a convidava, e ela não queria
Era com a Maria que eu sempre dançava

E quando eu inventava uma melodia
Era sempre a Maria
Que me aplaudia, e ela não ligava
E eu ficava a cantar prá a Maria

No cinema, no escuro, quando eu a beijava
Ela empalidecia, a Maria corava
Ela não me ligava e adormecia
E era com a Maria que eu conversava
E que eu ficava quase até ser dia

Ela tinha uma amiga chamada Maria
A quem ela dizia p'ra dizer que não estava

Até que outro dia ela me telefonou
E eu disse: Maria...
E eu disse: Maria!
E eu disse: "Maria, vai dizer que eu não estou!"
"O sexo é uma saudação trocada entre duas almas"

Bernardo Soares in Livro do Desassossego

quarta-feira, março 08, 2006

I would die for you,
I would die for you,
I've been dying just to feel you by my side,
to know that you're mine.

I would cry for you,
I would cry for you,
I will wash away your pain with all my tears
, and drown your fear.
ahahahah
I will pray for you,
I will pray for you,
I would sell my soul for some thing pure and true,
someone like you.
See your face every place that I walk in,
Hear your voice every time I’m talking.
You will believe in me,
And I will never be ignored.
I would burn for you,
Feel pain for you,
I will twist the knife and bleed my aching heart,
And tear it apart.

I would lie for you,
Beg and steal for you,
I would crawl on hands and knees
until you see...You're just like me.
Violate all my love that I'm missing,
Throw away all the pain that I'm living
You will believe in me
And I can never be ignored...

I would die for you,
I would kill for you,
ahahahah
I would steal for you,
ahahahah
I'd do time for you.
ahahahah
I would wait for you.
ahahahah
I'd make room for you.
ahahahah
I'd sail ships for you
to be close to you,
ahahahah
To be a part of you,
ahahahah
'cause I believe in you.
ahahahah
I believe in you,I would die for you.

#1 crush, Garbage
Reflexão angel do dia: "Porque há oscares segmentados para melhor actriz e melhor actores?"

terça-feira, março 07, 2006

"Masturbação é fazer amor com a pessoa que mais amamos"

Woody Allen (quem mais poderia ser?) in Annie Hall
" "Mas escolher quem se ama não é perder de uma certa forma todas as outras pessoas do mundo?" - e logo lhe chamaram leviana tão prontamente quanto o ser humano faz um juízo.
Do meu canto, fitava-a admirado. "

Vincent Black Jewell, Amores (des)encontrados
"A paixão é uma doença"

Stendhal
"Se fores chata, as tuas amigas perdoam.
Se fores agressiva, as tuas amigas perdoam.
Se fores egoísta, as tuas amigas perdoam.
Agora, experimenta ser Magra e Gira...

TÁS LIXADA!!!"

Anónima clarividente
As eternas balizas

"O que sentes por mim" - é uma expressão que nos induz a respostas limitativas. A maior das pessoas pensa em paixão, Amor (escrevo sempre com maiúscula) ou amizade.
A paixão será um sentimento exacerbado, irracional, que nos faz sentir que por mais que tenhamos a pessoa, é como se isso nunca fosse suficiente. O Amor será algo brando, imensurável que se sente melhor a dar que a receber. A amizade, ainda mais completa que o amor, só quer que a outra pessoa esteja bem (e fica feliz, ao contrário do amor, mesmo que essa felicidade implique estar nos braços de outra pessoa).
Ousem, arrojem, inovem na linguística dos sentimentos: admiração, ternura, magnestismo, atracção (esta então dá para tudo o que não é paixão ou Amor).Uma amiga minha adorou a expressão que me fluiu espontânea- "ele está balançado para ti".
Mas mais importante que novos conceitos é perceber que há sentimentos que não se coadunam com palavras.
"O que sentes por mim? " - pergunta A, não interessa o sexo, SÃO PESSOAS.
"És a pessoa com quem tenho mais afinidade de alma. Não, não te amo, não não estou, de todo, apaixonado. é muito mais do que isso. sei que a opinião que tenho de ti é a mais elevada que se pode ter de uma alma humana. se fosse paixão, saberia que a minha opinião estaria alicerçada num fogacho, numa distorção efémera da tua pessoa, mas os meus olhos estão calmos para te apreciar. A admiração é superior à paixão, é mais racional no seu juízo e por isso mais duradoura. És a minha pessoa preferida e não me provocas qualquer estremecimento na alma. - responde B".
Qual o sentimento?

Where-is-your-mind-Angel? Everywhere-somebody-says

domingo, março 05, 2006

A relação mais bonita do mundo

- "E agora vou para a Índia viajar com ela, vamos umas duas semanas só os dois. Temos uma relação muito aberta... eu conto-lhe tudo e ela também. Não preciso de fingir alguma coisa que não sou eu" - ouvi-o dizer-me.
(Ao ler o parágrafo anterior quem, por instantes, concebeu que o sentimento, a relação que subjazia ao discurso directo exposto fosse amizade? Alguém por uma singela fracção de segundos admitiu essa hipótese de philos em vez de eros?
"Não, não, nunca tivemos nada... Nem um simples beijo, nem nunca me passou pela cabeça e sei que a ela também não. Ela conta-me todos os pormenores dos namoros e eu a ela..."
E para o futuro?
"É a única pessoa que tenho a certeza que vai sempre fazer parte da minha vida e estou muita vezes com ela. Ainda anteontem fui almoçar com ela e amanhã devo ir ver uma exposição ou teatro com ela".
Detalhe final: "Se aos trinta não estivermos casados, telefonamo-nos e marcamos casamento. É essa a nossa combinação".
Alguém comente...

Angel-seeing-poetry-everywhere

sábado, março 04, 2006

nadando as mesmas águas profundas
como tu
é difícil
os afogados
nas águas rasas
perdem muito menos
que nós

Robert Smith, Desintegração
"Existem todos os tipo de amor no mundo mas nunca o mesmo amor duas vezes"

Francis Scott Fitzgerald, A coisa mais sensata

sexta-feira, março 03, 2006

"Para se ter um filho ateu rebelde, há que instrui-lo na educação religiosa mais rigorosa".

N.H. Kleinbaum, The Dead Poets Society
"É por saber que eu não consigo ser interessante 24 horas por dia com uma pessoa, que eu não estou com uma pessoa 24 horas sobre 24 horas".

Octávio Pessoa, Sem Título
"No passado, cometi o maior dos pecados: não fui feliz".

Jorge Luís Borges

quinta-feira, março 02, 2006

PESSOAS INCATALOGÁVEIS


A maior parte das pessoas que me conhece pensa (e bem) que eu tendencialmente gosto de pessoas open-mind, cultas, que sabem escrever e falar, despreconceituosas, de esquerda... Mas quem me conhece melhor saber outra verdade mais profunda do meu ser: eu gosto de pessoas incatalogáveis.
Por duas razões: individualidade e capacidade de me surpreenderem.
Detesto pessoas que para para pertencerem a um grupo ou um estilo perdem identidade própria. Como eu disse a um amigo meu "tu és vegan, okupa, ateu, gótico, não por sentires todas estas coisas mas porque é o que eles dizem". Desconfio sempre de pessoas que não fogem em nada ao padrão do grupo que os enforma.
Porque não ser de esquerda, ir ao lux ou ao incógnito, ouvir recitais de poesia na barraca e depois ir à missa? Ou ser beto, votar no PP, ir a touradas e depois fumar ganzas?
É isso que dá piada à vida, é isso que nos distingue como pessoas e não como subprodutos de um grupo. A heterogeneidade é um valor per se. Quem já foi a um melting pot, como a Holanda ou até mesmo Soho em Londres, respira liberdade e heterogeneidade e sente a sua mente alargar alargar... de forma irreversível.
É curioso que as pessoas que conheci que mais assimilaram acriticamente um grupo, vieram todas a inflectir o seu percurso. Uma, a Mariana, era tão tão beta que tratava as pessoas todas por você na adolescência. Anos mais tarde, via com o cabelo pintado em pé de mão dada com um punk. Um amigo meu, o Mourinho, okupa, era tão tão freak que ao acabar o curso me disse "Só acabei o curso para não dar sofrimento aos meus pais. Agora vou polir rochas para a praia". Hoje trabalha quotidianamente de fato e gravata numa seguradora.
Tal como nos livros, amo as personagens com densidade psicológica, assim também na vida... Tal e qual...
Mas as pessoas têm de simplificar tudo para ser mais fácil decifrar os outros (mesmo que erroneamente. Quantos não preferem viver na ilusão desde que mais felizes?!

Angel-changing-the-angle ;)

quarta-feira, março 01, 2006

"o silêncio na canalhice mata a pureza das relações"
Pedro Calheiros
O VALOR SUPREMO DA VERDADE

Não tenho dúvidas que a maior parte das relações são morninhas, a maior das pessoas que andam têm uma ou um nº1 com quem realmente gostariam de andar, pelo que o ou a seu parceiro mais não é do que um suplente.
Não tenho dúvidas que a maior parte das pessoas, passada a paixão, passado o amor (se é que granjearam algum dia alcançá-los...), apenas por comodismo não deixam o ou a namorado (a).
Igualmente dúvida alguma não se me oferece de que as pessoas que namoram a partir de certa altura estão mais presas ao hábito do namoro do que propriamente à pessoa em sim. O importante é mesmo ter a garantia de que se tem sempre alguém para ir ao cinema...
Vem isto a propósito de um conjunto de traições que eu observei de um conjunto de relações morninhas. É uma constatada não coincidência que nenhuma traição emergiu de um relação alicerçada num amor brando ou numa paixão violenta. A casa quase sempre implode e não explode...
A namorada de um amigo meu, chamada Lena, que note-se, dentro da relação não é a pessoa mais próxima a mim. Eu sou amigo do namorado dela, o Zé, muito antes de a conhecer, disse outro dia numa mesa de pessoas:
"Quando o Zé sair com o Angel, tenho a certeza que nada acontecerá... Ele ao pé do angel nunca se sentirá capaz de me trair..."
Ele disse a brincar: "Maravilha, vamos então sair hoje com as tuas amigas Angel..."
E a Lena: "Se alguma coisa acontecesse, o Angel contava-me logo"...
As mulheres têm tendencialmente uma muitíssimo maior sagacidade. Sem que alguma vez eu o houvesse nomeado, ela descobriu o meu hercúleo apego à verdade.

Angel-mesmerized...