terça-feira, agosto 30, 2005

O típico homem actual

Estes homens surgem em massa, como quase tudo nos nossos dias. São homens que têm tanto de misterioso como de previsível. Vivem a vida como se estivessem sozinhos neste planeta, isto é, pensam única e exclusivamente no seu “eu”. E isto reflecte-se em tudo à sua volta. Homens na casa dos 25-35 que vivem sozinhos ou não, com um emprego estável e com um palminho de cara...é este o retracto imediato destes homens.
Pensam sempre que são demasiado novos para assumir qualquer compromisso e por isso, querem “curtir a vida” (como eles próprios dizem) e isto é sinónimo de comer muitas gajas e ficar bêbado muitas noites na companhia dos amigos. Isto estaria tudo muito bem, não fosse o facto de pelo caminho irem destroçando alguns corações de mulheres, que caíram no erro de os achar interessantes. Eles olham para elas como se fossem objectos destinados somente a proporcionar prazer e, por isso, quando a fonte de prazer se esgota, partem para outra, deixando no ar um silêncio ensurdecedor para estas mulheres.
Será que é apenas um reflexo da nossa sociedade onde reina o descartável? Acredito que algumas mulheres também adoptam este comportamento, mas em versão feminina...com contornos mais maquiavélicos. De qualquer forma, não deixo de me pasmar com a evolução dos homens...

Cat Woman

quinta-feira, agosto 18, 2005

É melhor comer muita(o)s ou pouca(o)s gaja(o)s?

A minha resposta a esta pergunta mudou ao longo dos anos. Diria “muitas” durante um longo período da minha vida. A favor do meu argumento, tinha várias coisas...
O facto de o acumular de experiência nos permitir estar preparado para lidar com diferentes pessoas, o facto de precisarmos de experimentar vários tipos de pessoas antes de decidirmos qual realmente queremos, o facto de achar que se depois de estabilizar ficámos só com uma, então... a melhor preparação para a monogamia seria rodar muitas... E acima de tudo, o meu lema “Arrependo-me apenas do que não fiz e não do que fiz”:
Circunstâncias da vida concorreram para inverter mentalmente o meu paradigma. Em primeiro lugar, constatei que as pessoas, gajas e gajos que comem ou pretendem comer muitos gajos e gajas, tendencialmente são mais frias emocionalmente, diria mesmo vazias, valorizando mais a carne do que o espírito.
Tenho um amigo que dizia que só comia gajas “para a média”. Mesmo quando uma rapariga não lhe dava prazer, ele contrapunha “Mas é mais uma para a média!”. Um dia apanhei-o a gritar a um espelho “Macho! Machooooooooo!” enquanto batia selvaticamente no peito despido. Tirem, portanto, as vossas conclusões.
Mas aquilo que me mais me fez mudar foi uma pergunta... Alguém me perguntou se eu me tinha envolvido com Filipa (nome adulterado) no passado. Eu menti. Eu menti. O meu interlocutor disse que lhe tinham dito que eu me tinha envolvido com ela mas acreditou em mim. E isso causou-me uma grande perturbação.
Fui para casa cabisbaixo a pensar nisso. Porque que raio tinha precisado de mentir? Costuma-se dizer que o homem não come e conta e a mulher come e não conta. Mas eu não só não tinha omitido, eu fora encostado à parede e tinha mentido. Porquê?
Tinha vergonha de me ter envolvido com ela. Porquê? Ela até era bonita... Mas era fútil, fútil e ignorante, uma miúda sem literatura. Oh!, como eu tinha vergonha de a ter no meu currículo afectivo-sexual. Acreditem, é uma sensação horrível. E é muito pior do que a sensação de não ter comido alguém que se teria comido...

Angel-always-thinking

quarta-feira, agosto 10, 2005

Deusas (Como lidar com elas)

Passeiam-se pelas discotecas com ar altivo e enjoado. Gostam de passar à frente nas filas das discotecas. Quando lhes batem um couro, fingem-se entediadas. Estão habituadas a que lhes satisfaçam todos os caprichos, mesmo que isso implique comprar um sumo de abacaxi às três e meia da manhã em Freixo de Espada à Cinta. Conseguem boleias constantes e idas aos cinema de graça. Conseguem mesmo evitar multas com um sorriso insinuante. Só gostam de ser vistas com gente de topo, seja pelo prestígio, pela guita ou pela pinta. Não têm grande actividade neuronal nem uma conversação agradável. Grande parte da sua arrogância está alicerçada na sua beleza. São assim, as Deusas.
Tomava eu outro dia café com uma semi-deusa, quando ela pediu um sumo XPTO e uma sobremesa bem cara. Eu estava atrás dela na caixa e ela depois de fazer o pedido, levou as coisas para a mesa, deixando-me a olhar para a mulher da caixa, com a inevitável obrigação de pagar.
- Joana (nome adulterado), tens de pagar! – disse veementemente.
A Joana ficou de trombas e pagou.
- És mesmo forreta... (Ela sabe bem que não...Aliás, se não fosse a atitude ostensiva de Joana tomar por garantido que lhe ia pagar, eu tinha pago o café!)
Expliquei-lhe o princípio de direitos iguais/deveres iguais, expliquei-lhe também que a atitude dela era ressuscitar o machismo, o tempo das famílias patriarcais em que os homens pagavam tudo às mulheres não tendo elas lugar no mercado de trabalho, etc, etc... Uma lição espontânea.
O mais engraçado caro (a) leitor, é que noutro café com Joana, ela tentou-me pagar o café... É mesmo para rir, pois é!...
- Não percebeste nada do que te disse da outra vez... – disse eu.
É engraçado como dando às deusas a antítese do que todos-os-outros-homens-cachorrinhos-lhes-dão-de-mão-beijada, elas caem imediatamente do pedestal e ficam brandas e carinhosas...
Não olhem para elas de forma rebarbada quando elas passam, tentem até que o vosso olhar não se cruze com o delas, não lhes satisfaçam as vontades, evitem toda e qualquer generosidade, não as convidem para nada... E, ACIMA DE TUDO, NÃO SEJAM SIMPÁTICOS! E... efeito colateral, terão mais hipóteses de sucesso com elas. Quanto mais lhes dão, mais elas vos sugarão tudo (hão-de ficar com o cartão de crédito com saldo negativo) e menos consideração e apetecibilidade vocês representarão para elas...
Quando é que os homens perceberão que o poder que essas pseudo-deusas têm emana somente das suas atitudes submissas? E que se não forem cãezinhos a lamberem-lhe os tornozelos, elas continuarão a ser humildes lojistas da Zara...

Anjo-pastor-ordenando-ovelhas