quinta-feira, fevereiro 26, 2004

Updates

A Tasca do Sr Joao está a modernizar-se, agora foi instalada mais uma inutilidade: sistema de votacoes. Em cada semana será colocada uma questao para vossa consideracao. Para comecar, e nao fugir a regra, temos a básica "O que acha do blog?". Agradeco o feed-back.

Quanto a segunda parte do post Engates, estou a espera de mais dicas dos leitores relativamente aos melhores locais para a prática do engate. A tasca pretende ser interactiva e contar com a vossa colaboracao na criacao dos textos. A parte II está para muito breve.

sexta-feira, fevereiro 20, 2004

Engates - parte I

Há muito macho que ainda pensa que o melhor local para o "engate" é a discoteca. Na minha opinião, e utilizando uma expressão popular, isso é chão que já deu quecas.
Em qualquer discoteca do nosso pais o cenário é (quase) sempre o mesmo:

-Matilhas de homens a procura duma presa feminina que satisfaça o seu ego de macho garanhão por aquela noite;
-Grupo de mulheres, que sendo vitimas de assédio constante, criam uma "barreira anti-abutre", sistema que as transforma em seres frios e secos, sempre que interpeladas por qualquer elemento do sexo masculino.

Na pista, quando algumas donzelas se aventuram a dançar, em seu redor junta-se logo um grupo de homens que dava para formar um plantel duma equipa de futebol. Esta "equipa" utiliza todas as (gastas) técnicas de sedução na procura desesperada por um olhar ou sorriso que lhe diga "estás no caminho certo".
Em outros posts fui bem claro quanto ao prazer que as mulheres sentem em relacão ao poder que tem sobre os homens quando saiem a noite...mas é obvio que tudo o que é demais, enjoa. Este constante assédio que elas sofrem nas discotecas, torna-as muito menos receptivas aos avanços masculinos, fruto da saturação de abordagens falhadas.
Se com este cenário, o engate é dificil, não nos podemos esquecer do comportamento delas em grupo. Quando alguma dama baixa as defesas e "dá bola", é rapidamente "protegida" pelas amigas, que por ciúme (competição feminina) impedem o sucesso do engate. É óbvio que se a menina estivesse só, estaria receptiva, mas com a pressão de grupo, tem que empinar o nariz e ignorar quem a interpelou.
Obstáculo também importante é o barulho ensurdecedor da música, que torna qualquer conversa numa gritaria desenfreada "QUE...NAO PERCEBI...AH OK, JÁ PERCEBI (mentira)" e que desgasta qualquer comunicador.

Assim, nas discotecas só os gajos com muito estilo, muito dinheiro ou muita sorte, conseguem engatar mulheres apeteciveis. Os outros pobres caçadores ou se contentam com a amiga feia ou ficam a ver navios. Em muitos casos, a procura incansável por uma presa (e constantes insusessos), torna o nivel de exigencia muito baixo a partir de certa hora. É triste observar que, fruto da frustação de caçadas falhadas, misturado com o alcool ingerido, eles abordem verdadeiros monstros com quem nunca falariam em situações normais. O pior é que elas, sentindo um prazer enorme de passarem de rejeitadas na vida do quotidiano a cobiçadas no estranho universo da discoteca, lhes dão enormes tampas.
Tenho alguns amigos que dizem "noite em que vá a uma discoteca e não facture, é uma noite perdida...para conseguir falar com elas tenho que estar com os copos". Isto é de uma tristeza enorme, ainda mais quando é rarissimo estes sujeitos facturarem quando saiem a noite. Assim, segundo o raciocinio deles, quase todas as noites que saiem sao perdidas, servindo apenas para se embebedar e tentar esquecer a frustação dos engates falhados.

Pelo que foi acima enunciado, as discotecas não são o local ideal para encontrar alguém. São muitos obstáculos para atingir o objectivo. Então, onde procurar? Agradeço a ajuda dos leitores para elaborar uma lista decente. Lá para segunda feira escreverei sobre isso em Engates - parte II.

Sr João

quinta-feira, fevereiro 19, 2004

Sê tu próprio

O Zé era um rapaz gordo, feio, com poucos dotes de oratória, educado, amigo, puro, humilde, trajando sem gosto e sem classe, desprovido de charme... No seu grupo de amigos era o único que com 25 anos nunca houvera “fodido uma gaja”; sequer até dado um beijo.
O seu grupo de amigos – de bairro – era constituído por gajos machões e machistas (qualificativos que andam sempre aos pares) que se conheciam desde infância e cujas vidas eram compartilhadas por todos num espírito de grupo sem segredos.
O Zé assim como os restantes membros do grupo não tinham vida pessoal para além desse grupo (mesmo as namoradas se integravam no grupo), todos sabiam que o Zé que andava sempre com eles de café em café e praia em praia e bar em bar, o Zé não tinha tido nada com mulheres...
Pressionado pelo grupo que sistemática e paternalmente o aconselhava arranjar uma gaja, enfim a “pinar” depressa – condição de pertença ao grupo qual insígnias de piloto de aviação; vergonha social essa que ano após anos se abatia sobre o Zé como um fardo que fosse engrossando diariamente sobre as suas costas...
Até que um dia o Zé revelou à mesa de um café: “Ando a comer a minha empregada!!!”
Uma vez que o Zé e o seu grupo não tinham amizades e vida fora do grupo, a empregada era a única pessoa que em teoria o Zé poderia “comer” e que não teria de levar para o grupo pois as empregadas não se apresentam, comem-se no local do trabalho, o mesmo é dizer em casa.
Até ao dia em que um membro do grupo foi a casa do Zé e viu num relance uma mulher vestida de empregada - gorda, de bigode, com mais de 60 anos. A mentira era demasiado óbvia.
As pressões de grupo são terríveis e nalguns casos levam as pessoas mais vulneráveis e frágeis a forjarem personas... o que inevitavelmente cria sentimentos de conflito dentro dos indivíduos moldados... é por isso que Shakespeare disse que o mundo era um palco e nós somos todos actores...

Angel Boy
Número 100

É com enorme prazer que a Tasca do Sr Joao comemora a centena de visitas ao blog desde sexta-feira, dia 13 de Fevereiro 2004. Agradeco o tempo dispendido na leitura dos textos, esperando que tenham gostado ou odiado, mas que nao tenham ficado indiferentes.
Aproveito para pedir uma participacao mais activa nos comentários, de modo a receber um maior feed-back dos leitores.

Bem hajam!

Sr Joao

quarta-feira, fevereiro 18, 2004

Peds horribilis

Waldorf colocou a seguinte questao no post Pés egipcios e pés gregos:

"Ó sr João, as raparigas da minha idade têm os pés cheios de calos. Também há alguma tipologia para este tipo de coisas?"

A tipologia desses pés é cientificamente designada por peds horribilis. Uma vez que A Tasca do Sr Joao tem por missao praticar o bem, auxiliando os leitores nas questoes importantes da vida, deixo em seguida um tipo de abordagem as donzelas com este tipo de pés:

Com um ar sério e uma voz meiga diga-lhe: "Nao pude deixar de reparar que os seus pés estao cheios de calosidades, facto que transformou, o que outrora foi uma obra de arte do divino criador, num cenário repugnante de pele detiorada."
Entao, aproxime-se do ouvido dela e sensualmente segrede "coloque numa bacia uma parte de vinagre e duas partes de água quente. Deixe os pés de molho durante 15 minutos, que os calos cairao por si, basta puxá-los com a unha."

Para o impacto ser total, convém transportar consigo um kit composto por uma pequena bacia, uma garrafa de vinagre e um termo com água quente. Vai valer o esforco.


PS: Para uma prenda inesquecivel naquele dia especial, ofereca a menina Birkenstock. Ela ficará completamente derretida!

terça-feira, fevereiro 17, 2004

Canal 18

Gosto de pornografia. Nunca sarapintei as cadeiras do Olimpia, nem tenho garrafa no bar do animatografo do Rossio, mas da-me tusa assistir a filmes porno. Ate há alguns anos atras, o acesso a pornografia estava reservado apenas a quem tinha coragem de alugar um filme no video clube, sujeitando-se ao rótulo de rebarbado, ou de quem tinha um amigo na escola que roubara umas cassetes ao pai e que alegremente espalhava a semente da porcalhada nas mentes dos seus colegas. Agora, com o canal 18, assistimos a democratizacao do anal, da penetracao dupla, dos botoes de rosa e afins...está la tudo, basta ligar o inocente canal VIVIR depois da meia noite.
E interessante assistir a metamorfose deste canal. De dia, podemos assistir a programas como:

-"?Que me pongo?", onde um panilas espanhol ensina as donas de casa a bordar e a escolher as suas roupas;

-"Estilos", cópia do Caras Noticias, em que Biba Pita juntamente com o vaquedo do jet set nacional durante 1 hora nos bombardeia com o glamour de festas e cocktails frequentados sempre pelos mesmos cromos. Fundamental: falar pelo nariz como se estivesse com um ataque de renite alergica, muitos sorrisos amarelos e dar só um beijinho;

-"Festa Brava", magazine tauromaquico que glorifica as touradas espanholas.


Quando passa da meia noite, a "festa brava" é outra: "Que me pongo?" Uns em cima dos outros num festim de penetracoes e chupadelas num "estilo" animalesco. Durante cerca de 1 hora o espectador pode assistir a um espectaculo das mais variadas praticas de chavascal. "Fazer amor" é proibido, aqui fode-se a grande e a francesa.
Esta mudanca repentina do cariz da programacao, pode originar situacoes embaracosas para o espectador mais destraido. Transcrevo esta queixa deixada num site por uma espectadora traumatizada:

"Certa noite de sabado estavamos todos a ver tv a noite, já um pouco tarde, todos a ver tourada. Bem, a tourada acabou e fomos todos comer qq coisa a cozinha, tal nao foi a nossa "vergonha" quando vimos o programa que iria dar a seguir a tourada, cenas de puro sexo ali, entre nos estavam criancas! Mudou-se o canal e nao se falou mais nisso..."

Mas de seguida, esta crista senhora confessa o seu pecado:

"Por curiosidade já vi esse mesmo programa numa outra noite, mas mudei, pois aquilo nao e o sexo que eu conheco e nao acho nada atractivo o programa exibicionista e que deixa ver demais."

"Nao e o sexo que eu conheco?" Ó minha senhora, experimente mudar a sua posicao inerte esparramada na cama de pito para cima a espera que o seu marido faca o trabalho todo, enquanto pensa no que vai preparar para o almoco do dia seguinte.

Adiante...
É curioso constatar que os milhares de filmes porno existentes obedecem a certas regras que nunca se quebram, por mais arrojado que seja o realizador. Destaco algumas:


SEQUENCIA DA ACCAO: Qualquer que seja o filme e o numero de participantes em cena, o acto sexual comeca sempre por uma mamada de 10 minutos. Ela chupa, mastiga, lambe o vergalho do actor com o mesmo gosto que uma crianca se delicia com um calipo numa tarde quente de verao. De seguida vem a bela minetada; nos filmes mais machistas esta cena nao aparece porque "macho que e macho nao faz minetes, so deixa que lhe facam bicos" (nao sabem o que perdem). Por esta altura (ja passaram 15 minutos), é tempo de acabar com os perliminares e ir directo ao assunto: comeca-se com o estilo missionario, depois sessao de montaria, segue-se a fundamental canzana terminando com uma enorme enrabadela. Segundo as regras, a mulher tem que ginchar que nem uma porca, porque senao nao está a ter prazer.
O grande final, e já um classico: chuva de meita na cara da actriz, que fecha os olhos no momento do disparo para nao ficar zarolha.


SAPATOS: Dizem os estudos cientificos publicados em revistas da especialidade, que a zona do cerebro referente aos pes esta muito proxima da zona responsavel pelos estimulos sexuais. Parece que os realizadores de filmes porno adoptaram a Science et Vie como a sua Biblia, pois em qualquer cena de sexo, seja na cama, no banho, na cozinha ou na casota do cao, a dama tem que estar sempre calcada. O tradicional salto alto continua a ser um must, devendo permanecer nos pés da jovem ate ao banho de esperma final.


GAJAS FACEIS: Imagine que na vida do quotidiano, as mulheres seriam tao fáceis como as actrizes porno. Acho que o pais parava, ninguem trabalhava, estava tudo no escritorio em cima da fotocopiadora em alegres sessoes de pinocada em grupo. A verdade é que a vida real nao tem nada a ver com os filmes, onde basta um gajo espirrar e ela ja esta a abrir a berguilha para o belo boquete.


SILICONE: Os homens gostam de marmelos bem grandes, isso ninguem pode negar. Ha quem diga que a semelhanca entre as mamas e a playstation e que ambas foram concebidas para as criancas, mas sao os pais que bricam com elas. É obvio que o Criador nao foi generoso com a maioria das damas, pois sao raros os espécimes com peito 40 e uma cintura fina como a de uma bailarina. Felizmente, neste caso, a ciencia foi aplicada ao servico do bem e brindou-nos com as mamas de silicone, que muitas vezes desafiam as leis da gravidade (como é que aquela esguia rapariga aguenta 35 kg de plastico enfiados dentro do peito sem cair?) e que permitem um facil levantamento do mastro do espectador.


ARGUMENTO: O argumentista deve ser o tipo mais mal pago da industria, porque ninguem liga a historia. Aliás, ninguem ve um filme inteiro duma so vez. Um filme porno é para se ir vendo.


CANALIZADORES:Neste tipo de filmes há sempre uma necessidade de chamar um canalizador ou carpinteiro para reparar a casa. Quem pede auxilio é uma jovem senhora que vive só, em pleno cio, que por acaso tem vestida uma roupa proveniente do catalogo da sex shop mais próxima. O trocadilho "a minha ferramenta tapa qualquer racha" está muito gasto, mas continua na moda. Ser canalizador no universo porno é a melhor profissao do mundo.

Sr Joao


Considera-se um especialista da industria porno? Ja viu todos os filmes da Jenna Jameson, Maya Gold e C. Canyon? Sabe que Houston 500 nao é uma corrida de Automoveis nos E.U.A.? Lembra-se quando Ron Jeremy nao usava bigode? Escreva-me.

segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Pés Egipcios e gregos

Já que estamos numa de pés, lembrei-me de referir um conceito desconhecido para muita gente e que gera sempre interesse quando referido junto das mulheres. Esta técnica será muito util para os fetichistas de pés, mas também é interessante para quem gosta de causar impacto junto das mulheres. Refiro-me é claro, a teoria dos pés egipcios e gregos.
Para comecar fica a explicacao:

PÉS EGIPCIOS: O formato dos dedos é em "escada", ou seja, o tamanho dos dedos vai diminuindo continuamente desde o dedo grande até ao mindinho.
PÉS GREGOS: O dedo médio é do mesmo tamanho, ou em alguns casos, maior que o dedo grande. O efeito escada nao existe.

Nao sei bem porque (talvez por falta de assunto), mas há alguns anos lembrei-me de mencionar a teoria dos pés egipcios e gregos a um grupo de mulheres, e qual nao foi o meu espanto, o feedback foi muito positivo. Desde entao, e SÓ QUANDO CONSIDERO APROPRIADO, espevito a conversa com este tema. Caso o leitor pretenda experimentar, eis as instrucoes:

(Versao sandálias) Espere uma altura em que a conversa esteja a ficar desinteressante, e após um ligeiro silencio, que permite a mudanca de assunto, aponte para os pés dela e diga de uma forma natural e séria: "Nao pude deixar de reparar que os teus pés sao egipcios/gregos".
A reaccao dela será "O que é isso?", enquanto olha para os seus pés tentando perceber o porque de tao singular afirmacao. Após alguns instantes de silencio em observacao, seguido de "É impressionante, ainda por cima formato egipcio/grego perfeito", ela estará curiosissima, sorrindo e a pedir explicacoes.
Ai, o leitor, detendo o poder da informacao (poder é afrodisiaco para as mulheres), explica a sua teoria tomando como exemplo o pé da menina. Os verdadeiros fetichistas (e descarados) poderao mexer no pé dela enquanto procedem a explicacao, pois ela estará tao espantada com o rumo que a conversa tomou, que já consideram natural pegarem no seu pé (mas beijá-lo nao é!).

(Versao sapato fechado) Embora menos espectacular que a versao acima enunciada, o leitor pode sempre perguntar "Estive a pensar, os teus pés sao egipcios ou gregos?" Com a dose certa de "lata", elas até descalcam o sapato para saber a que grupo pertencem.

Por experiencia própria, em todas as vezes que abordei este assunto, nunca me dei mal. Já tive reaccoes do simples "Ah curioso", até "lindo, como sabes essas coisas?", enquanto sorriam e lancavam olhares insinuosos. Isto porque estamos a abordar um assunto novo, inesperado de uma forma séria, facto que nos envolve numa áurea de mistério e sabedoria. É muito importante a maneira como se expoe a teoria, tem que ser de uma forma séria, pois estamos a falar de factos cientificos.
Para os mais imaginativos, podem inventar que as pessoas com pés egipcos tem uma personalidade X, enquanto gregos tem Y (adaptar as caracteristicas da pessoa).
Convido-o a experimentar numa próxima conversa. Garanto que elas nao ficarao indiferentes.

PS: Nao me lembro onde aprendi esta teoria, mas há alguns anos lia a revista Pró-teste enquanto estava na casa de banho a mandar um fax ao primeiro ministro. Ai deparei-me com um artigo sobre ténis; lá explicava quais os ténis mais apropriados para cada tipo de pé, referindo egipcios e gregos. A TEORIA É CIENTIFICAMENTE COMPROVADA. Se tiverem razoes de queixa, escrevam para a DECO.

Sr Joao
Pés: Sensualidade vs KEDS

Nao sou fetichista por pés, mas também nao posso esconder que me agrada muito ver uma mulher bem calcada. Dizem os psicólogos que a área do cérebro responsável pelos estimulos sexuais está muito próxima da zona referente aos pés, logo é perfeitamente natural que imagens de pés (calcados/descalcos) esteja incluida nas fantasias de muito macho. Os próprios realizadores de filmes eróticos/pornográficos sabem muito bem desta caracteristica masculina. Assim é natural ver em qualquer filme deste género, as damas usando longos saltos altos em qualquer cenário: na cama, na piscina, na selva, no gelo, no deserto...
Pessoalmente gosto de ver um pé feminino bem calcado. O que entendo por bem calcado? No verao, adoro a bela sandália de salto com tira que mostre os dedos, e se juntarmos um leve vestido que esponha umas belas pernas, entao estamos perante o numero 1 do meu top de preferencias. Já quando o tempo arrefece, gosto muito de ver botas de salto alto, elemento que transmite elegancia e sensualidade. Para completar o quadro, uma saia de sarja e umas meias (está frio), fazem o servico.
Já referidas as minhas preferencias, vou agora apontar, o que na minha opiniao é um tremendo erro no calcado feminino e que devia ser banido de todas as sapatarias: os KEDS. Para os mais desatentos, os ténis KEDS, sao aqueles ténis brancos, leves e muito populares entre as meninas quando pretendem um visual casual e desportivo. Assim, muitas vezes apresentam o conjunto: camisa/camisola, calcas de ganga e os malditos ténis KEDS. Este visual nem é carne nem peixe: ou a jovem vai fazer desporto, e como tal equipa-se devidamente com roupa e ténis apropriados (também pode ser muito estimulante), ou entao está vestida para a vida do quotidiano, logo nao necessita de ténis.
Os ténis tipo KEDS sao desprovidos de qualquer sensualidade, ainda mais quando a dona nao tem o devido cuidado de os manter sempre impecavelmente limpos. Infelizmente, assiste-se a muitas jovens que apresentam ténis já algo gastos com o tempo, ostentando um tom amarelado ou até acastanhado, facto que ainda piora o já fraco conjunto. Nunca experimentei este tipo de calcado (sou muito macho!), mas um argumento que aceito a seu favor será o conforto. Contudo, se procurarem bem, irao encontrar sapatos que aliam beleza/sensualidade ao conforto, basta um esforco para encontar o tal par. E se só estao interessadas em conforto, ignorando qualquer aspecto estético, entao apostem nas pantufas ou naqueles sapatinhos muito confortáveis utilizados pelas velhinhas. Nao há nada mais confortavel.

Sr Joao

sexta-feira, fevereiro 13, 2004

Modernices

A pedido de muitas familias, a tasca do Sr Joao instalou um contador no blog. Agora também é possivel ao leitor comentar mais facilmente as alarvidades aqui publicadas...basta um click, porque a sua opiniao conta.

quinta-feira, fevereiro 12, 2004

A arte da especializacao

Angel Boy dá licoes de Marketing...

Cada pessoa dentro das seis mil milhoes que compoem o mundo tem idiossincrasias proprias, direi mesmo unicas... É esse o sal das relacoes humanos, descobrir na intimadade da amizade ou do namoro os pormenores, a beleza unica de cada um de nós, escondida por detras das convencoes sociais, das pressoes de grupo, do pensamento da maioria, do politicamente correcto...

Dou mais valor a uma pessoa que assuma a sua virgindade aos 20 e muitos do que a uma pessoa que diga que fode quarenta gajas num ano... Acho a primeira mais mascula do que a segunda porque mais forte.

Mas enfim, isto para dizer que cada um de nos tem na sua propria voz, a sua propria verdade...

No relacionamento homens/mulheres devemos sempre sentir que somos nos, nao imitar estilos... cultivarmos a nossa voz mais propria como fazia rodger doger no filme homonimo...

Existe um principio de marketing que é neste contexto importante. Se alguem tiver um carro para vender, nao deverá dizer que ele é simultaneamente veloz e agil próprio para playboys aventureiros e seguro e robusto para uma senhora de idade que priveligie a cautela... se houver um carro que so faca a campanha pelo lado da aventura e outro pelo lado da seguranca, o carro que pretendia chegar aos dois publicos-alvo acabara por ser preterido pelas outras duas campanhas.

O mesmo para homens/mulheres... o homem que queira ser intelectual, desportista, beto, freak, que pretenda comer maduras e pitas, tias e alternativas... acabará por

(conclusao óbvia)

Angel Boy

quarta-feira, fevereiro 11, 2004

Máquina fotográfica

Anda por ai um grupo de "cacadores" noctivagos que descobriu uma nova arma para as suas cacadas em discos e bares: a maquina fotografica digital.
Esta nova técnica demonstra pleno conhecimento duma caracteristica feminina bem enraizada, e que por muito que disfarcem, nao conseguem esconder: a VAIDADE. De facto, as mulheres quando saiem a noite, produzem-se para impressionar (principalmente) as outras mulheres e também os homens. Assim é perfeitamente natural que quando qualquer gajo se aproxime, de maquina em riste acompanhado por um sorriso, elas se sintam lisongeadas. A técnica é seguidamente exempleficada:

Ele:"quero tirar uma foto tua, importas-te?"
Ela:"Ahh...porque eu? Nem gosto de fotografias, fico sempre mal", enquanto se penteia e faz a pose mais sensual que consegue.
Basta uma ligeira insistencia "Vá, se ficar mal, apago"
A foto é tirada.

A primeira fase foi concluida com sucesso. Segue-se sacar o numero de telemovel e mail:

Ele: "Ficaste tao bem. Vou mandar-te por mail. Qual a morada? (aproveitar para perguntar se tem msn). Já agora o telemovel, porque as vezes os mails falham e eu quero muito que fiques com a tua foto".

Missao cumprida.

E porque esta aproximacao resulta tao bem, destacando-se de outras formas de abordagem? Porque aqui tudo é feito em funcao do interesse dela: a foto é dela, facto que estimula o ego (foi a escolhida), solicita-se o mail e telefone para o bem dela, uma vez que o "presente" tem que chegar ao destino. Tudo isto é feito duma forma muito inocente, facto que as faz baixar as armas "anti-abutres".

Esta aproximacao é óptima para quebrar o gelo, depois podem tirar-se mais algumas fotos e iniciar uma longa conversa. Se forem "despachados", liguem o radar e descubram a próxima victima da vossa objectiva.

Nota final: Os telémoveis com camaras digitais incorporadas, embora possam desempenhar a funcao, nunca terao o impacto duma camara genuina. Quando elas vem a camara sentem-se especiais, como se estivessem a posar para as revistas cor de rosa.

Sr Joao