sexta-feira, dezembro 17, 2004

A uma mulher que não existe

Porque todas as outras são competitivas mas tu não…
Porque todas as outras dizem mal das amigas…
Porque todas as outras passam horas intermináveis nas montras
Porque todas as outras gastam energia a alindar os pratos da cozinha…
Porque todas as outras fazem do corpo um templo…
Porque todas as outras vacilam e por isso se entregam submissas…
Porque todas as outras gostam dos pintas e dos bad boys…
Porque todas as outras querem ter um lar, uma carreira, filhos…
Mas tu não!

Porque todas as outras têm uma costela de puta
Onde tu tens o principio de uma asa branca imaculada
Porque todas as outras se perfumam
Enquanto tu me extasias com esse subtil secreto aroma só teu…
Porque todas as outras querem saber o que faço
Quem são os meus pais onde moro que carro tenho
Quantas mulheres estão interessadas em mim
(E se são boas…)
Mas tu não!

Porque todas as outras procuram amar o que têm
Quando tu procuras lutar para ter o que amas!

Angel-Lovely-Boy

quinta-feira, dezembro 09, 2004

1 ANO DE VIDA

Faz exactamente um ano que numa bela tarde magiar, o Sr João pôs em prática uma ideia que vinha a matutar há algum tempo - criar um blog com o intuito de exteriorizar as inúmeras teorias comportamentais e sociais dos habitantes deste nosso lindo país à beira-mar plantado. No dia 9 de Dezembro de 2003 foi criada a Tasca do Sr João. De início, a concepção e manutenção do blog eram da inteira responsabilidade do Sr João, mas em boa hora começou a colaboração de Angel Boy, que contribuiu com inúmeros textos de qualidade. Posteriormente, e sinal que o blog é democrático e está vivo, contámos ainda com a colaboração em 3 textos de amigos como Mr X e Naughty Girl...estamos sempre receptivos às vossas opiniões. Recuando um ano, lembro-me que proliferavam os blogs à imagem do consagrado "O Meu Pipi" - estávamos assim em plena época Pipiana na blogosfera nacional. Contudo, a tasca decidiu trilhar um caminho diferente: teorizar sobre comportamentos humanos (principalmente das gajasss), incentivando à reflexão sobre temas que fogem à generalidade do politicamente correcto. Os autores também acharam que para um texto ter interesse, não seria necessário usar linguagem ordinária (embora mandemos uma caralhada quando necessário), fugindo assim à armadilha fácil de colagem ao estilo d' O Meu Pipi.

Muito obrigado a todos por manterem a Tasca do Sr João aberta por tanto tempo!

Sr João
Apito Azulado - Há um ano estava tudo aqui

No dia 9 de Dezembro de 2003, foi colocada na Tasca, uma estória dum autor anónimo que pede a divulgação do que acredita ser a verdade, e que agora se reveste duma actualidade incrível...anos depois desta investigação.

"A MAFIA

As primeiras reuniões do Sistema realizaram-se ainda nos anos 70 e quando o Papa era seccionista do andebol do F.S.P., na confeitaria "Petúlia" no Porto. Aí­ se começou a "cozinhar" o Sistema. Ronaldo Bigodes possui vários bares de alterne, onde se encontram com regularidade pessoas ligadas ao futebol, e onde eles enchem os bolsos da seguinte maneira: o presidente do clube A quer subir de divisão. Paga por exemplo 30 mil contos ao sistema, que por sua vez gasta 10 mil contos em árbitros e guarda 20 mil. Sexo e dinheiro compram tudo e todos, incluindo árbitros, polí­ticos, dirigentes,etc. Outro truque era levarem os árbitros às casas de meninas, filmarem tudo e depois chantagearem-nos. Outro exemplo: o árbitro X tem algumas dificuldades monetárias, por exemplo para pagar uma letra, o Sistema empresta dinheiro. E depois exige-o de volta. Como o árbitro não pode pagar de imediato, torna-se escravo do Sistema. Resultado: vergonhosas arbitragens.

O PAPA CHEGA A ROMA

Por intermédio do treinador Pedrotini, os jogadores fizeram greve e se não houvesse eleições, não jogariam. Realizaram-se eleições. Nas sessões de esclarecimento aos sócios do presidente da altura, o nosso "amigo" Ronaldo Bigodes arranjava uns capangas, para armarem confusão e as sessões nunca chegavam ao fim. Isto e a greve dos jogadores veio dar força ao Papa que ganhou as eleições. Os jogadores pararam logo a greve e foi assim que o MAFIOSO chegou ao poder (com dinheiro do dono da Petulia, IP), que mais tarde se mostrou desgostoso, pois tinham-lhe prometido a vice-presidência, e depois nada. S anos mais tarde chegou a dirigente do clube. Já agora, o Papa gosta de pensar em si proprio como o Al Capone portugues.

O SISTEMA

O sistema não é o F.S.P. clube. São as pessoas que lá estão. Os sócios sem se aperceberem estão a alimentar uma máquina de fazer dinheiro. Mas o dinheiro que entra no clube é muito pouco, pois grande parte é para o Sistema. Também há tráfico de droga. O autocarro do F.S.P. foi revistado na portagem dos Carvalhos há uns anos atrás e passados meses foi preso Manano(antigo jogador), que foi bode expiatório a troco de dinheiro. Com certeza já ouviram falar de Lucia Onofre. Este e outros empresários portugueses e estrangeiros trabalham com o clube e alguns deles estiveram envolvidos no escandâlo de corrupção dum grande clube francês que desceu de divisão há anos atras. Eles trabalham assim...

COMO VENDER JOGADORES MISERAVEIS

Compra-se um jogador médio, barato, ele faz uns jogos pelo F.S.P. e depois é vendido a um clube estrangeiro amigo por uma fortuna. Nesse clube amigo eles têm um treinador(normalmente um ex-treinador do F.S.P.) que trabalha com a MAFIA ou um empresário de jogadores. Eles convencem esse clube a comprar o tal jogador do F.S.P. por milhares de contos e normalmente é assim que o bolo é dividido:

Sistema(MAFIA)-50%
F.S.P.-30%
treinador ou o empresário-20%

Exemplo:Foram buscar o George Plastico (um jogadorzeco dos anos 80) bem barato, fez meia dúzia de jogos pelo F.S.P. e depois foi vendido por um balúrdio ao M. Race de Paris. Quem era o treinador do M? O treinador que anos mais tarde viria a ajudar ao enterro do maior clube rival do F.S.P. O bolo foi dividido assim:

Treinador coveiro dos encarnados - 20%
Sistema-50%
F.S.P.-30%

Ficaram todos a ganhar e contentes menos os franceses. E as vendas de vários outros jogadores fizeram-se através de empresários amigos que inflaccionaram o valor e o preço dos jogadores do F.S.P.: Hermeson(Inglaterra), Dolyva(Italia), Dolmyingus(Espanha), Rui Barrote(França), Folhado(Belgica), Latopie(Espanha), Milacarsqui (Espanha), etc, a lista é interminável.
Lembram-se daquele guarda-redes frangueiro Cralli? O F.S.P. tinha que se despachar dele. Quem foi o pato? Um clube holandês treinado por um antigo treinador do F.S.P.

NEVES

Muitos jornalistas tentaram denunciar e expôr a MAFIA do futebol. Mas foram ameaçados e espancados pelos capangas do F.S.P. (cujo nome oficial é Corpo de Seguranca Privado). Neves foi um corajoso jornalista. Escreveu o livro "Golpe de Estádio" onde de forma romanceada ele conta a historia da MAFIA com nomes falsos. Antigo jornalista do Norte Desportivo e Gazeta dos Desportos, já o espancaram várias vezes, para ele se calar. Colaborou com a SIC nos Donos da Bola. O livro teve algum sucesso há 10 anos, mas agora está esquecido.
O Ronaldo Bigodes passou as casas de prostitutas para nome de outra pessoa porque dava muito nas vistas, visto que o Granada, o Calor da Noite, Diamante Negro, entre outros ,que eram os mais frequentados na altura, era onde se faziam algumas transacções de droga. O próprio Ronaldo Bigodes foi apanhado em frente à alfandega do F.S.P. num mercedes cheio de droga, mas muita gente "comeu" às custas disso e nunca se soube nada, atá um jornalista do "Publik" recebeu uma "prenda" do Ronaldo Bigodes quando o próprio descobriu a história. Em relação ao guardião Abal, ele nao foi traí­do, mas sim "aconselhado", e ficou bem na vida...só que ele é um grande putanheiro que estoirou tudo no jogo e nas putas, e que agora tem umas tipas a render para ele.
Em relação à Olivaldesports, quando o clube Encarnado quebrou o contracto, depois do J. V. Azedo se tornar presidente, o G. Aguia, o Papa, o editor do jornal "O Joga", A. Olival ( o ex-treinador do F.S.P.), seu filho e outros, reuniram-se na sala de reuniões do jornal, para tomar medidas no "sistema" para o rival do sul sofrer represálias intimidatórias, tanto a ní­vel de imprensa como a ní­vel federativo (Liga incluída). Obviamente que esta reunião foi "off-the-record". E muito mais. As mais banais eram as notí­cias fabricadas ou as inflamadas. Porque para o responsável financeiro do jornal, "o clube lisboeta é que vende". Mandaram um sócio do F.S.P. pagar a um cunhado para dizer que o jornal o tinha subornado para dizer mal do F.S.P . Este caso ate passou nos 3 canais de TV. "

Autor anonimo

Acredite quem quiser...

quarta-feira, dezembro 01, 2004

Traições II
Porque será que há tantas traições hoje em dia?


Em primeiro lugar, uma observação sobre a diferente natureza das traições masculina e feminina.
Normalmente, os homens traem carnalmente, o típico “esvaziar o colhão” e as mulheres por afecto. As mulheres quando traem, tendencialmente, ou o fazem amando o namorado, no intuito de sorver o carinho e amor que os seus namorados frios não lhes dão, ou então, porque não gostam dos seus namorados, e vão experimentar outro, e depois muitas vezes esse vem a ser o namorado vindouro. Têm é de ter sempre um namorado… São inúmeras as estórias de mulheres que começaram com os actuais namorados no final de um ex (palavra horrível, porque diminutivo de excluído).

Passemos às causas.

Em primeiro lugar, a sociedade de hoje caracteriza-se pela efemeridade. Tudo hoje é transitório. Já não há emprego, há trabalhos, as novas tecnologias, em particular a net, põem-nos à mercê de milhares de informações que são consumidas rapidamente e a seguir deitadas fora; o marketing faz-nos gostar de coisas diferentes todas as semanas; o zapping tem cada vez mais canais por onde saltitar… A transitoriedade nas relações afectivas com o recrudescimento dos divórcios, separações, casamentos cada vez mais curtos, tem-se acentuado e irá continuar a acentuar-se.

Em segundo lugar, ao contrário do que nos querem impingir, a monogamia é tudo menos natural. A monogamia é mesmo a mais bem conseguida mentira socialmente imposta.

No início da história da humanidade, existia a poligamia e a poliandria (uma mulher ter homens, «poligamia feminina») e os próprios pais tinham relações com os filhos e os irmãos com as irmãs. A fase das relações sexuais entre familiares directos não perdurou por uma questão de selecção natural, pela constatação de que muitos dos filhos de relações pais/filhas ou irmãos/irmãs apresentavam deficiências (por regra, mentais); permanecendo, contudo, a poligamia e poliandria por milhares de anos.
A monogamia só adveio quando as sociedades se tornaram sedentárias, surgiu a propriedade privada e a família aparecia como o garante da perpetuação da riqueza que passou a ser transmitida geracionalmente.
O termo família vem do famulus da Roma Antiga que significa a hierarquia onde pontificava o macho patriarca, acima da mulher e muito acima dos escravos… Uma origem muito pouco simpática, diga-se…

Em terceiro lugar, os homens e mulheres parece que chegam a casa cada vez mais cansados e sem paciência, seja para inovar sexualmente, para ouvir o parceiro, para compreender em vez de julgar, para fazer algo que quebre a rotinas do egoísmo a dois centrado nos mesmos rituais nos mesmos lugares com as mesmas pessoas.
Não há ninguém sem capacidade de surpreender os seus parceiros a que nível for e quem não adora uma boa surpresa?


Todo o efeito precede de uma causa…

(também aqui)

Angel-Boy-cold-heart

quinta-feira, novembro 18, 2004

Atitudes femininas

A assídua leitora do blog, Naughty Girl, dá-nos a conhecer a visão feminina da realidade...

De certo, muitos já se interrogaram sobre algumas atitudes femininas, daí a tão famosa expressão que diz que não há quem consiga entender as mulheres. Por vezes é difícil entender, mas é preciso estar muito atento, porque todas essas atitudes que não percebem, estão a enviar-vos sinais: muito subtis e incompreensíveis para os homens....perfeitamente explícitos segundo as mulheres (por isso, é que os homens são de Marte e as mulheres de Vénus). Quando as mulheres estão caladas...o que significa isso? pois bem há duas grandes hipóteses para o silêncio delas: ou estão a detestar a vossa companhia e por isso, não lhes ocorre nada para dizer, pois não querem abrir a boca para comentários menos abonatórios...ou então ( e sorriam porque está é a hipótese boa) o silêncio delas significa que não são precisas palavras para comunicarem, ou seja, o entendimento é tão perfeito, a química é tão grande que se comunica por linguagem corporal. Quando quiseres distinguir estes tipos de silêncio estejam atentos aos olhos e sorriso da pessoa que está convosco, pois estes são o espelho da alma...Quando as mulheres dizem não, mas por dentro estão a dizer sim....esta é talvez uma das atitudes femininas mais recorrentes. Mais uma vez se questionam "mas como identificar isso?". É tudo uma questão de comunicação corporal, sejam observadores (bastante) e assim, será fácil identificar um pseudo-não. Pensem que as mulheres fazem constantemente estes jogos do sim-não/não-sim para testar os homens. É importante ver a reacção deles para que elas possam decidir se é merecedor delas ou não. É importante sentir que se domina a relação, o jogo da sedução...Por isso, lembrem-se a voz pode mentir, mas o olhar não...olhem mais nos olhos e verão que aí se encontra a resposta para todas as dúvidas que possam surgir.

Naughty Girl

segunda-feira, novembro 15, 2004

TRAIÇÕES I – Quem trai mais?

Hoje em dia, no campo afectivo-sexual há sondagens sobre (praticamente) tudo. Quantos vezes os casais fazem amor por mês, qual a percentagem de pessoas do sexo masculino e feminino que se masturba, qual a zona erógena, qual a fantasia preferida, qual a percentagem de homo, bi e hetero, and so on…
Ainda não encontrei uma sondagem sobre a percentagem de traições nas relações, especialmente desagregadas por sexo. Talvez que os investigadores achem que dada a forte pressão social exercida sobre as mulheres, tal estudo não valeria a pena, pois a vergonha das mesmas deturparia os números.
Como não existem estudos científicos sobre a matéria, a única coisa que cada um pode fazer nesta matéria é falar com base na sua amostra adquirida através da sua experiência pessoal.
A minha amostra abrange essencialmente a faixa etária dos 20-30 anos.
Com base nas conversas que tive com amigos e conhecidos do sexo masculino, para 80% já traíram e 20%-25% (menos que um em quatro e mais que um em cinco) já tiveram affairs com raparigas que namoravam.
Com base nas conversas/interrogatórios com o sexo feminino, a quem eu despudoradamente tudo pergunto, constatei que 55% das mulheres já traíram.
Atenção: Quando aqui falam em trair quer dizer que pelo menos uma vez já traíram um namorado (a).
Como para a maioria dos homens a traição é lamentavelmente um motivo de orgulho e para as mulheres de opróbrio, descontei os casos em que não acreditei dos homens, tirando-lhe uns 10% dos 80%, ficamos com 70% que traíram.
Utilizando o mesmo critério para as mulheres, desconfio que pelo menos 10% me tenham omitido (e estou a ser muito amigo das mulheres neste número) de 55% passamos a 65%.
Uma conversa há uns dois anos com uma amiga mudou-me a maneira de ver as coisas.
Ela dizia ter traído todos os namorados excepto um e que era normal nas mulheres isso acontecer. Eu falei-lhe dos meus números. Ela disse que eu era ingénuo…
Passei ao interrogatório. Falámos de quatro amigas dela que eu bem conhecia e que, duas delas, quase juraria, tão angelicais e devotas aos namorados aparentavam ser, que não traíam.
As quatro traíam, ela disse-me. E na actualidade. Fiquei atónito.
Passei a perceber que mesmo tendo confiança com alguém do sexo feminino, esse alguém preferirá sempre confidenciar as traições as mulheres.
Voltando à nossa contagem… teremos de somar este fenómeno de mulher-conta-traição-a-outra-mulher (lá volto eu a ser amigo das mulheres…) mais 10% (pelo menos!).
Ora, fazendo as contas… homens 70%, mulheres 75%.

(to be continued…)

Angel-lovely-boy
"Toda a mulher tem uma costela de puta."

Sr. André, livreiro

quarta-feira, novembro 10, 2004

Enamorar

Nova colaboração de Mr. X:

“Enamorar, v. tr. apaixonar; encantar; cativar.”

Recentemente ouvi no noticiário um padre que celebrava o seu nonagésimo aniversário a responder a uma pequena jornalista quando confrontado com a questão da sua opção pelo celibato no início da sua carreira espiritual e de uma vida sem paixões “dessa água ninguém se livra de beber”. Decorridos 90 anos já muita ciência empírica adquiriu e estudou seguramente. Já muitas histórias no seu confessionário escutou. Houve um século diante dos seus olhos.

É um fenómeno natural. E como qual qualquer fenómeno natural não o controlamos. E se o controlamos é só até um determinado ponto. Ponto de ruptura onde se avalia o grau de enamoramento da pessoa enamorada por outra. Se o grau for baixo a ruptura tende para o desaparecimento desse sentimento, caso contrário, o céu é o limite. Embora com o passar do tempo este grau de sentimento tenha tendência a baixar, é arriscado avançar que o horizonte temporal influencia o nível de enamoramento quando se lê as seguintes palavras: “ tira-me a luz dos teus olhos: continuarei a ver-te. Tapa-me os ouvidos: continuarei a ouvir-te. E embora sem pés caminharei para ti. E já sem boca poderei ainda convocar-te. Arranca-me os braços: continuarei abraçando-te. Arranca-me o coração: ficará o cérebro. E se o cérebro me incendiares também por fim, hei-de então levar-te no meu sangue…”. Ela, casada, respondeu passados 15 anos “ Em nós não eram duas metades que se buscavam: era a totalidade surpreendida a reconhecer-se, como um calafrio, numa incrível unidade…”. Confirmando assim que também foi apanhada de surpresa, Ela que em nova escrevera no seu diário “Sou para sempre fiel ás recordações; nunca o serei aos homens”. Ele ainda a viu uma ultima vez “Compreendi quando te voltei a encontrar de manha, que eras a sempre nova, a sempre jovem e o fim eterno, e que havia para mim uma realização que englobava todas as outras: ir para ti…”. Anos depois Ele faleceu, e só mais tarde, muito mais tarde, Ela se rendeu enviando-lhe um recado para o céu “Não me era possível ignorar que por detrás do poeta coroado pelo destino, havia ainda Alguém - Alguém que, por nascimento, tu foste até ao fim!”.
Ele chamava-se Rainer Maria Rilke, Ela chamava-se Lou Andreas-Salomé.

Mr. X

domingo, outubro 31, 2004

Lolitas II – A verdade é dura e difícil de encarar, mas é a verdade

Hoje em dia, uma das temáticas mais em voga é a pedofilia. Pretendo contribuir para esta discussão com um ponto de vista que nunca vi desenvolvido.
A pedofilia é, regra geral, tratada de forma maniqueísta e emocional. Demagogicamente, fala-se numa simplificadora luta entre os pedófilos e as criancinhas. Mas a verdadeira luta está entre a verdade e a mentira.
Tendemos a ver as crianças não como elas são, mas como queríamos que fossem. Desiludidos que estamos com o mundo dos adultos, competitivo, enfadonho e artificial, projectamos para as crianças a inocência sem limites e corações imaculados.
As crianças são fofinhas como ursinhos de peluche e amoráveis como os golfinhos, ah e claro está! são todas inocentes…
Esta visão está distorcidamente alicerçada na emoção e numa projecção ideal que todos temos das crianças, toldando-nos o raciocínio. O peso desta visão é fortíssimo e nasceu com o grande mestre da civilização ocidental – Jesus Cristo – que disse que tínhamos de ser como as criancinhas para entrarmos no Reino dos Céus… E o próprio Pessoa disse que o melhor do mundo são as crianças…
O problema é que à semelhança do que acontece no mundo dos adultos, nem todas as crianças são inocentes e bondosas… Lembremo-nos daquela criança mais forte que roubava os brinquedos às outras ainda no infantário… Lembremo-nos daquele rapaz que foi dizer ter dormido com Carlos Cruz e que a própria mãe foi ao tribunal desmentir dizendo que tinha sido pago por um jornalista… Lembremo-nos das declarações de cara tapada de uma criança na TVI que dizia ter dormido com uma série de VIP´s mas que os consensualmente todos os telespectadores entenderam perfeitamente que mentia (até a própria Boca Guedes). Lembremo-nos, por exemplo, do massacre de Columbine…
Dizer que estamos sempre pelas crianças contra os pedófilos é dizer às crianças “Dizei o que quiserdes que nós (a sociedade) acreditaremos”. E é sabendo isto, é dando-lhe esta terrível arma, que crianças eticamente mal formadas se aproveitam a troco de dinheiro, a troco de fama ou pelo puro prazer de ter poder para infligir sofrimento aos outros, se aproveitam desse estatuto que lhes conferimos de inocência intacta para lixar a vida de outros… A perversidade começa assim cada vez mais cedo…

Note-se que não quero ser maniqueísta, dizendo que as crianças mentem sempre! Estou apenas a nomear e criticar o maniqueísmo contrário interiorizado, em larga escala, na sociedade do século XXI que as crianças dizem sempre a verdade!
Como amante da literatura, acredito que nela se encontram todas as verdades da natureza humana. O que acima relatei foi inexcedívelemente descrito por Vladimir Nabokov na sua obra-prima Lolita, criando o conceito de ninfetas, crianças-demónio capazes de seduzir e despedaçar homens mais velhos e maduros.
“Entre o limite de idade que vai dos nove aos catorze, existem raparigas que, diante de certos viajantes enfeitiçados, revelam sua verdadeira natureza, que não é humana, mas "nínfica" (isto é, demoníaca)”.
Como se distinguiam estas crianças das outras? O narrador diz-nos que, dentro de uma fotografia da escola, a ninfeta não era necessariamente a mais bonita, podendo-se identificar por:
“Características misteriosas, a graça tresloucada, o charme indefinível, astuto, insidioso, que despedaça almas e que distingue a ninfeta das demais moças de sua idade”.
Fica o aviso.

Angel-lovely- boy

sábado, outubro 16, 2004

LOLITAS I - Estórias Reais

Deixem que vos conte duas estórias reais vividas por mim ainda este ano:

a) Estando eu numa festa de aniversário numa casa particular...
Uma criança de doze anos, do sexo feminino, começou a querer brincar comigo.... Eu conversava com amigos e os toques e brincadeiras dela não tiveram grande feedback da minha parte. Notei que a rapariguinha ficou algo frustrada, fitando-me com um sorriso amuado...
Quando chegou a altura de cantar os parabéns, as luzes apagaram-se e a criaturinha de doze anos colocou-se estrategica e diabolicamente à minha frente. Sem que eu me mexesse ou sequer descruzasse os braços, ela pulou e histérica virou-se na minha direcção dizendo “Então?...”. Gelou-se-me o sangue como quando uma vez o comboio onde ía parou no meio de um túnel absorto na escuridão.
A mãe dela olhou na minha direcção. Seguramente, todos os presentes terão olhado na minha direcção. Seguramente, todos terão pensado que eu apalpei a menina inocente. E eu nada poderia fazer para provar a minha inocência. Paguei o meu desprezo com uma vingança maléfica e genial de uma criança com apenas doze anos.

b) Estando eu na praia...
Ouvi atrás de mim um conjunto de rapariguinhas entre os 13 e os 15 anos a falarem sobre rapazes. Uma delas, branquinha, pequenina, cabelo à Mafalda, cara bonitinha, proferiu as seguintes frases:
- “Curti com o Miguel... ai foi tão bom!... Eu disse-lhe que ele beijava mal só para ver a reacção dele! Ele ficou cá com uma cara! Ah ah ah!”
As outras três juntaram-se aos risos.
Falei com o Sr. João sobre esta conversa e estes risos ao que ele sabiamente sentenciou “É assim que nascem traumas para o futuro...”.

(to be continued)
Angel Boy

terça-feira, outubro 12, 2004

Como usufruir de uma mulher?
(Texto da autoria de Mr. X, amigo da tasca que nos presenteou com uma pérola de sabedoria)

“Usufruir = v. tr. ter o usufruto de, gozar; possuir.”

É simples e redutível:

A) Não deixar de pensar que levar um ‘não!’ é sempre possível. E sendo possível há que o enfrentar assim como qualquer medo que nos invade ao longo da vida. Saber aceitar um não é meio caminho para chegar lá! Quando interiorizares esta rejeição à partida estarás apto. Atenção: a relapsia é uma evolução! Não irás perder nada, apenas a ilusão que todas as mulheres podiam ser tuas.
B) Escolhe a gaja adequada. Parece fácil mas não é! É precisamente neste ponto que muitos falham (possivelmente não passaram pela fase A). Quem sabe escolher o seu target identifica-o imediatamente assim que surja. Não perde tempo com Catarinas Furtados, nem com a mulher dos seus sonhos. Enfim, não acredita nessa verdade, mais perigosa do que todas as outras, que é a possibilidade de uma gaja perfeita.
C) Sê algo! Macrobiótico, vegetariano, fumador, leitor de ‘A Bola’, telespectador horas a fio…ou não! Ser um pouco inexorável nesta fase é fundamental (um pouco!). A partir daqui estás por tua conta. Não vale a pena planear, prever, fugir do acaso e das circunstâncias como se foge de um intruso a meio da noite. Deixa a conversa fluir como se tratasse de um amigo. Não tentes engatar! O resto virá por si…

Mr. X

domingo, outubro 10, 2004

Dicionário do blog V: Tótó

Tótó = Ele é o “querido”, o amigo, o impecável, aquele que nunca falha, mas que desperta tanto sex appeal no sexo feminino como um cão morto. Quando namora, a mulher em casa é que manda, é que veste as calças e o totó, não por ser feminista, mas por ser um ser passivo e inócuo, um “banana”, sem vontade própria deixa-se levar… Metaforicamente, se estivesse no mar, iria sempre ao sabor da corrente…Mesmo quando namora, nunca a(s ) sua(s) namorada(s) têm uma paixão por si, mas sim compaixão, apelando a um sentimento maternal em algumas mulheres que acabam por vir a namorar com o melhor amigo. As mulheres sentem-se úteis ao livrararem os tótós de situações ridiculamente difíceis para eles, como nadar, matar uma melga ou subir a um escadote. Isto quando não arranjam namoradas por serem amigos do dono de alguma discoteca da moda ou por terem uma choruda conta bancária… São uns zeros na cama e, por isso, são, (quase) sempre traídos. Normalmente, trabalham num ramo da informática, gostam de ir ao IRC conhecer raparigas, usam óculos aro de tartaruga, pendem para o adiposo e têm cara de boas pessoas. São como a água – inodoros, incolores e insípidos. Far-lhes-ia bem lerem a seguinte passagem da bíblia “Sede frios ou sede quentes porque eu vomitarei os mornos”.

quarta-feira, setembro 29, 2004

Dicionário do blog IV: Metrosexual

Metrossexual = Indíviduo que pode perfeitamente ser heterossexual, mas que tem uma sensibilidade feminina especial para as coisas, gosta de conversas de mulheres, ( o que explica que normalmente tenha bastantes amizades no sexo feminino), como arranjos florais, cortes de cabelo e decoração da casa, gosta de contemplar jardins, o por do sol e o mar, assumindo tais predilecções abertamente, leva muito tempo a arranjar-se antes de sair de casa e ocasionalmente põe um colar, uma fita, uma pulseira. A tendência do futuro?

terça-feira, setembro 28, 2004

Dicionário do Blog III: Vaca

Vaca = Mulher/rapariga que come muitos gajos porque simples e naturalmente gosta de comer gajos. Se fosse muito feia, não seria vaca porque não teria homens suficientes, e teria de se masturbar com cabos de vassoura e vibradores XXL. Faz gato sapato dos homens por uma questão de libido. Honesta, ao contrário da cabra. Freud diria que procura nos homens o pai ausente.

sábado, setembro 25, 2004

"Não chores porque acabou, sorri porque aconteceu..."

Sábio português

Dicionário do blog II: Macho Latino

Macho latino = Espécie que se crê em vias de extinção. Acha que um homem quanto mais foder, mais garanhão é, e uma mulher mais puta... Gosta de carros, de ginásios, liga mais ao exterior da mulher que ao interior, diz que não escreve cartas de amor (mas tem uma escondida na gaveta do quarto cheia de erros e I love yous), gosta de ostentar as suas traições perante os amigos (“a gaja faz bons broches e engole”, “a gaja só tem um fiozinho em cima da cona”, “foi um botãozinho de rosa maravilha”), de referir-se à namorada/companheira como a “patroa” não sabe apreciar se um homem é bonito... Basicamente, o que este espécime faz é pegar numa das ideias socialmente mais (estupidamente) aceites – que um homem quer-se viril comendo muitas gajas – e dizer: “Eu nesse aspecto sou o máximo”. Corajoso e viril seria se dissesse ser o máximo em algo que a maioria das pessoas da sociedade não valorizasse. Freud diria que era um homossexual reprimido como o General Fitts do ´Beleza Americana´.

quarta-feira, setembro 22, 2004

Dicionário do blog I: Cabra

Cabra = Mulher/rapariga que gosta de provocar nos homens um sentimento de desejo inconsequente. É fácil de identificar quando ela desembrulha o rebuçado do papel, sorrir convidativamente, aproximar o rebuçado da nossa boca e no preciso instante em que abrimos a boca... tira-nos o rebuçado e ri-se! Vive feliz com a sua contabilidade de gajos que poderia ter fodido se quisesse. Faz gato sapato dos homens por uma questão de ego. Freud diria que foi magoada por alguém que gostou muito.

quinta-feira, setembro 16, 2004

Porque são as mulheres mais competitivas que os homens?

É absolutamente consensual que as mulheres são, entre elas, comparando com os homens, entre eles, tendencialmente (muito) mais competitivas... A quem tenha um pingo de dúvida sobre tal axioma, que observe, por si próprio, três coisas:

a) Nas discotecas, as mulheres olham avidamente todos os pormenores da indumentária e do corpo das suas rivais, olhando mormente para os homens que estão acompanhados das mais belas mulheres, não necessariamente os mais atraentes para elas, como se os homens tivessem um preço de mercado ditado pelas suas empresas concorrentes (as outras mulheres, suas rivais);

b) Seria interessante uma sondagem nas empresas a todas as mulheres: “Prefere trabalhar com homens ou mulheres”. 99,9999999999999999% diriam Homens;

c) A todas as mulheres que dizem ter uma melhor amiga, perguntem-se a si próprias se gostavam que ela tivesse mais sucesso, mais homens e fosse mais apreciada que vocês. E pensem também a quantidade de vezes que já disseram mal da melhor amiga, começando amavelmente por dizerem “Eu gosto muito da Teresa, mas ...”

Mas porque é que as mulheres são assim?

É uma longa, longa, longa, longa estória... Desde o Paleolítico em que os homens iam caçar, pescar, buscar mantimentos e agasalho para o agregado familiar, ficando a mulher naquilo que hoje definiríamos como a casa, a cuidar da prole...

Durante milhares e milhares de anos, a subjugação da mulher e o seu enquadramento no lar como o seu habitat natural foi um quadro que infelizmente não mudou assim tanto, sendo preciso chegar ao século XX, para a mulher começar a lutar pela sua emancipação no mercado de trabalho, isto é, pela sua emancipação económica...

Digo “lutar por”, porque ainda dentro do mundo ocidental (se formos para a larga fatia do mundo que é o mundo islâmico, então a coisa ainda está no século XVI) existe muita desigualdade no mercado de trabalho penalizante para a mulher, sendo invulgar ver uma mulher administradora de empresa ou com elevado cargo político...

De qualquer das formas, houve uma clara emancipação económica da mulher no século XX, que abriu as portas a um conjunto de outras emancipações, mormente numa emancipação sexual, que não obstante perdurar ainda o terrível estigma da mulher que fode muito ser puta e o homem garanhão; mesmo assim hoje a mulher, por exemplo, já não tem (felizmente!) de ir virgem para o casamento...

Atente-se nessa mudança positiva para a mulher... ela trouxe-lhe novos privilégios que o homem já possuia há milhares de anos, acarretou um conjunto de direitos recém-adquiridos, conferindo-lhe um novo estatuto, uma aura de nova importância...

Aquilo que nos homens eles não dão valor, por já o possuirem desde o tempo das cavernas, nunca tendo sequer (isto é importante) de lutar por isso, nas mulheres é sentido como algo valioso, com o valor que damos algo que passamos a ter depois de luta e esforço...

Assim se explica por exemplo que, como os homens desde sempre exerceram o domínio das coisas, talvez que no início eles tenham pelejado entre eles, mas como o passar de milhares de anos e com a manutenção dos status quo que eles viam que não lhe fugia, até se puderam dar ao luxo de entres eles vir a estabelecer laços de solidariedade... Nas mulheres não... a entrada no mercado de trabalho para certas posições é algo novo... daí que elas tenham de arranhar e puxar o cabelo umas das outras para manter algo que nunca tiveram, algo absolutamente novo na História da Humanidade...

Assim como um novo-rico liga mais aos bens materiais que um rico de linhagem, que adquiriu perante eles uma postura de relaxe e naturalidade, precisando o novo-rico de os ostentar para competir socialmente com os outros; ainda vão demorar geraçõe e gerações para a mulher se sentir uma rica de linhagem, uma fidalga, eliminando todos os resquícios de cabra e puta...

sábado, agosto 28, 2004

Reabertura da Tasca

Atracção pelo abismo

Desde há muito tempo que venho fermentando a ideia – politicamente incorrectíssima - que a seguir sustentarei; ideia essa que transbordo agora para a escrita devido a duas recentes conversas com duas amigas que me relataram como os seus namorados lhe bateram forte e feio, repito, forte e feio, durante os seus longos namoros.
A prática discursiva feminina diz-nos que as mulheres gostam muito de homens carinhosos, sensíveis, ternos, ursinhos de peluche e flores... e claro abominam os pintas dos carrões, os gajos do ginásio, os machistas, os bad boys...
Mas então porque é que – HÁ AÍ ALGUMA MULHER ME CONSIGA EXPLICAR?! – os sensíveis, como já escrevi, batem solitárias punhetas em casa e os bad boys comem as gajas boas? Porque é que os primeiros são totós, melgas, chatos, amélias e desinteressantes e os segundos as impelem a paixões obsessivas?
A propósito da dualidade entre o que se diz e faz/pensa no sexo feminino, lembro-me de ter relatado a uma mulher eticamente bem formada que um determinado gajo que ambos conhecíamos batia violentamente em mulheres e que gostava de espancar pessoas em discotecas ao ponto de ter de se chamar a ambulância... “Que nojo de gajo” – foi o comentário dela, mas infelizmente a sua linguagem corporal indiciava que ela estava extasiada – o seu olhar cintilava e o seu sorriso chegava roçava as orelhas. Como ela adoraria experimentar tal bad boy (que sempre comeu inúmeras gajas, ainda por cima boas), lia-se-lhe em todos os poros...
Das minhas imensuráveis conversas com o sexo feminino, depreendi que as mulheres que assumem gostar dos maus rapazes, advogam que o fazem com um instinto maternal, procurando inculcar o bem onde está o mal...
Defendo uma ideia controversa. Acho que as mulheres têm uma forte atracção pelo mal, por aquilo que não tem na nossa língua uma palavra correspondente com tanta intensidade –EVIL ...
(Para os mais eruditos, a origem mitológica de tal predilecção pelo MAL provirá de Lilith...)
Tomemos como exemplo um Capitão Roby... Enganava as mulheres, extorquia-lhes dinheiro, traia-as com outras, era violento na cama... e o que é essa aura lhe fazia? Atraía-lhe mais mulheres... No dia do seu julgamento, o tribunal estavam inundados com mulheres (pasme-se!) chorando por ele...
Peço às mulheres que me lêem para pensarem nos maiores filhos da puta que conhecem... Contrapunham a esse o rapaz mais sensível, mais querido (num livro que li, tal expressão era descodificada por uma mulher como siginificando “Tão sexy como um cão morto”)... Perguntem a vocês próprias, no silêncio dos vossos corações, se não preferiam ter uma noite secreta com o filho da puta? Surpreendidas? Envergonhadas? É MAIS FORTE DO QUE VOCÊS...
Vi um documentário sobre alpinismo onde um experiente alpinista relatava que tinha imenso amor à vida e que um dos maiores perigos da sua profissão era a atracção que o abismo exercia sobre eles... apesar de tudo fazerem para se manter vivos e do pavor enorme de cair no abismo, havia como que uma “corda invisível” que os puxava para o abismo...
O inexplicável é inexplicável.
Angel Boy

terça-feira, junho 08, 2004

O Sr Joao nao morreu

Ao contrário do que muitos leitores poderao pensar (e com razao), a Tasca do Sr Joao nao fechou, podemos dizer que encerrou para descanso do pessoal. Infelizmente nao tem havido disponibilidade fisica e intelectual para continuar o blog. Estas férias terminarao lá para finais de Junho, altura em que serao postadas novos textos. Tal como fazem as televisoes em periodo de férias com as reruns de séries antigas, sugiro que leiam os textos de arquivo, ao menos esses sao intemporais.
Agradeco os mails dos leitores que me questionaram sobre a estagnacao do site.
Quanto a votacao da mulher mais sexy de Portugal, facam favor de continuar, em final de Junho serao feitas as contas finais.

Sr Joao

sexta-feira, maio 28, 2004

Perguntas

Para os homens

Porque é um gajo que come muitas gajas é um ´garanhão´, e a mulher que come muitos gajos uma ´puta´?

Porque é que um filme pornográfico acaba sempre com um gajo a vir-se?

Porque é que é preferível encornar do que ser corno?

Porque é que não há gajos virgens (e foderam todos aos 13 anos) nas conversas de grupo juvenis?

Para as mulheres

Porque é que nenhuma mulher afirma gostar de um ´pintas´ e depois os ´pintas´ têm sempre gajas (boas)?

Porque é que as mulheres se entreolham tanto nas discotecas?

Porque é q os homens quando vão à disco (des)esperam à porta, tendo que pagar entrada, enquanto às mulheres é estendida uma passadeira vermelha?

Porque é que quando uma mulher vai à casa-de-banho, há pelo menos uma outra que tem um ataque súbito de chichi e vai atrás?

Porque é que as mulheres dizem que ligam mais à beleza interior e depois passam horas para se arranjarem (há por aí alguma que passe mais tempo em bibliotecas que em ginásios)?

Porque é que os gajos sensíveis que elas gostam tanto, batem solitárias punhetas em casa?

Porque é que as mulheres gostam que lhes paguem sempre as contas dos jantares, lhe dêem sempre boleia (Sr. João, porque é que o homem quem tem de dar boleia à mulher?), as deixem passar primeiro nas portas (uau! Que cavalheiro! – É esta a igauldade de direitos?) e depois não querem que os homens lhes arreiem porrada, só pensem no prazer sexual deles e saiam à noite quando elas ficam em casa? Quando é que as mulheres se apercebem que o machismo é um pacote? E que não se pode ficar com a parte boa sem deitar a má fora?

Angel Boy

terça-feira, abril 06, 2004

Astrólogos Superstar
Recomendo leitura do post de 24 de Marco "A Astrologia desmascarada pela ciencia"

Astrólogos, Tarólogos, videntes, bruxos, adivinhos, cartomantes, etc...é tudo farinha do mesmo saco. Mas, entre esta cambada de vigaristas que enriquecem a custa da exploracao das fraquezas da natureza humana, existem dois casos que me irritam profundamente: a bicha do Paulo Cardoso ( o astrólogo dos famosos) e a “jet-set” Maia. Isto porque professores Karambas, mestres Sacis e demais bruxos e videntes tem que se resignar aos anuncios de classificados para publicitar os seus esquemas, e sao considerados pela maioria da populacao como vigaristas. Bem sei que tem muitos clientes e que estao ricos a conta da miséria dos outros, mas pelo menos trabalham “underground”, a custa da auto promocao.
Quanto a Paulo Cardoso e Maia, a história é outra; a televisao acolheu-os de bracos abertos. Programa da manha que se preze tem que ter o espaco dedicado a astrologia, e é curioso que sao sempre os mesmos a sugar o dinheiro as televisoes. Só a Maia já deve ter quase tantas horas no ar nos 3 canais como o dinossauro Julio Isidro tem na RTP.
Esta fixacao em Maia e Cardoso poderá ser explicada pela sua telegenia e dotes de comunicacao. A “notoriedade” que estas figuras ganharam, é a melhor publicidade para garantir clientes nas suas consultas. Maia já aparece nas revistas cor de rosa, como parte integrante do foclore do jet-set nacional, e Paulo Cardoso, embora mais discreto também se sabe movimentar, ficando conotado como o astrólogo dos ricos e famosos (e otários).
Para além da TV, estes empresários do oculto, diversificaram o seu negócio: para além da consulta in-loco, o cliente pode também recorrer a internet e as consultas via telefone!!! Como Maia e Cardoso tem mais que fazer do que antender telefonemas de otários que gastam verdadeiras fortunas em chamadas de valor acrescentado, formaram uma equipa de especialistas, que "através do telefone conseguem captar as ondas de quem está do outro lado do auscultador" (Maia, em entrevista no Herman SIC) - No comments.
Claro que se analizarmos friamente o negócio destes empresários, chegamos a conclusao que nao passam de fraudes, tal como os demais "cientistas do oculto" acima citados. A grande diferenca, é que Maia e Cardoso souberam usar a comunicacao social para criarem uma imagem polida, simpática, alegre e de proximidade connosco. A grande exposicao mediática destes senhores faz com que deixemos de questionar acerca da sua autenticidade, e aceitá-los como membros respeitados da nossa sociedade.
Ácerca deste tema, uma amiga teceu o seguinte comentário: "Nao sei se aquilo (astrologia) é verdade ou nao, mas até tem piada ouvir coisas sobre o nosso futuro...se ela (Maia) está sempre na TV, é porque deve ser a melhor... nao acredito nas previsoes das revistas, mas num mapa astral feito a minha medida acho que pode revelar muito sobre o meu futuro..."

Enquanto muita gente pensar assim...

Sr Joao

segunda-feira, abril 05, 2004

"Aquele que busca o céu na terra, certamente dormiu na aula de Geografia"

Stanislaw Lec
Sondagem: Melhor local para sexo selvagem

Eis os resultados a votacao sobre "qual o melhor local para sexo selvagem":

Praia (dunas) - 33%
Local de trabalho - 20%
Elevador - 16%
WC publico - 10%
Por detrás da moita - 8%
Mar - 7%
Outro - 7%

Universo: 61 leitores.

Conclusoes:
Este verao, quando for a praia, tenha cuidado onde pisa;
Está explicada a baixa produtividade do nosso pais. Em vez de trabalhar, muita gente está a fantasiar em praticar sexo selvagem com o(s)/a(s) colegas de trabalho;
Estao explicadas as misteriosas manchas no espelho do elevador lá do prédio;
Afinal, nem todos os gemidos que vem dos WC pertencem a utilizadores com prisao de ventre;
Somos um pais de marinheiros, mas para sexo preferimos terra firme.

Nova sondagem: "Qual a mulher mais sexy de Portugal?" Felizmente o nosso pais está dotado de muita mulher bonita que deveria entrar nesta votacao, mas foram estas as 10 pré-seleccionadas. Concerteza que alguns leitores irao preferir outras beldades que nao constam da lista, mas como nao se pode agradar a gregos e troianos, tem que se contentar com estas (e nao vao nada mal servidos). Aceitam-se sugestoes de nomes de ninfas lusitanas que deveriam participar na sondagem (comentários).

Sr Joao

sexta-feira, março 26, 2004

Morrer na praia

O Benfica foi ontem eliminado da taca UEFA pelo Inter de Milao. Este Benfica até joga bem a bola, mas falha nos momentos decisivos, resultado duma equipa com pouca experiencia na alta roda do futebol. Clubes ( e seleccao) italianos dao nisto, nao jogam nada, mas ganham (quase) sempre aos tugas. Era preciso uma equipa menos "verde", que nao falhe nos momentos decisivos, para ultrapassar o Inter. De qualquer maneira o cenário é positivo, a atitude está lá e a experiencia ganha-se. Pode ser que este seja o ano 0 dum glorioso Benfica adiado há 10 anos (desde que o coveiro Artur Jorge comecou a enterrar), temos um plantel curto, mas de qualidade que terá que ser reforcado, está em curso uma operacao financeira e lancamento do novo cartao de sócio, de modo que o futuro imediato poderá ser risonho. Claro que a actual direccao é fundamental para este sucesso. Esperemos que estejam de vez afastados individuos como Damásios, Azevedos e seus bandos de gatunos que chularam o Benfica durante anos. A possivel entrada de Veiga gera alguma desconfianca na nacao encarnada: o que faz um empresário de futebol na sua rota descendente (os grandes craques foram-se, resta Simao), ex presidente da casa do Porto no Luxemburgo (dragao de ouro) no Benfica? Se nao é por amor a camisola, só pode ser por amor ao...dinheiro.

Sr Joao

quarta-feira, março 24, 2004

A Astrologia desmascarada pela ciencia

Nos dias de hoje, o horóscopo goza de uma enorme popularidade porque fazemos parte duma sociedade narcisista. A ciencia só pode fazer previsoes globais ou colectivas, mas há um grande numero de pessoas que só se interessam pelo seu destino pessoal. Entre um cientista distante que lhes fala de generalidades e um astrólogo próximo que só lhes fala deles próprios, a escolha é fácil. Como é evidente, a ilusao dessa exclusividade, dessa unicidade, é reforcada pela exigencia astrológica das coordenada completas do nascimento. O local exacto, a data, a hora e minutos exactos, tudo aponta para uma só pessoa, EU, logo, há forcosamente uma ligacao diecta entre o resultado do teste e a minha própria personalidade.
Aquilo que vemos, percebemos, acerca de que podemos testemunhar é em parte determinado por aquilo em que pensamos no instante preciso da observacao; existe uma "exposicao selectiva". Este fenómeno é um principio psicológico, segundo o qual, fazemos as nossas escolhas (tudo a que atribuimos autoridade), de forma a que as nossas opinioes sejam amplamente confirmadas, e nao infirmadas.
Quando recolhemos uma opiniao contrária a nossa, resta-nos sempre a validacao subjectiva, que permite receber incorrectamente e interpretar a mensagem de acordo com os nossos desejos. Isto permite que consigamos encontrar uma ligacao entre dois fenómenos perfeitamente casuais, apenas porque uma vontade, uma hipótese ou uma crenca exigem ou precisam dessa relacao, neste caso, siplesmente porque o horóscopo o anuncia.

Sigos do Zodiaco: enorme falha técnica

A accao das forcas graviticas do Sol e Lua sobre o bojo equatorial terrestre (a Terra é achatada nos polos) faz com que a direccao do eixo de rotacao da Terra (a “linha” dos polos) nao seja fixa. Por exemplo, daqui a 12.000 anos, o eixo da Terra deixará de apontar na direccao da actual estrela polar, da Ursa Menor, que já nao indicará o Norte, mas sim na direccao duma nova estrela polar (Vega de Lira).
Quer isto dizer que os pontos de referencia da esfera celeste em relacao a terra se deslocam lentamente, arrastando consigo os signos dos astrólogos, que deixam portanto de coincidir com as constelacoes de origem, das quais se afastam progressivamente.
Um caso prático: Os leoes, isto é, as pessoas nascidas enquanto o sol visto da Terra, se encontra na constelacao de Leao, sao “corajosos, orgulhosos e dominadores”. Embora há mais de 2000 anos, isto parecesse evidente, é no entanto dificil de conceber que ligacao pode isso ter com o que se passa nos nossos dias, quando temos em conta que as pessoas nascidas no fim de Julho (denominados leoes), nao nascem quando o Sol está no Leao, mas sim no Caranguejo.

Post elaborado com base no livro “Feiticeiros e Cientistas - O oculto desmascarado pela ciencia” de Georges Charpak e Henri Broch (Gradiva).
Sr Joao

quinta-feira, março 18, 2004

Engates - parte II - Adenda Praia
continuacao do post Engates - parte II de 01-03-2004

Na praia tudo está a mostra, nao há truques que valham para esconder as imperfeicoes do corpo. Nada de soutiens alcochoados que aconchegam e epinam o peito, transformando pequenas e descaidas maminhas em volumosos e sucolentos seios. Nem tao pouco as milagrosas calcas elásticas que produzem rabos dignos do sambódromo de sapucai. O máximo que elas podem fazer é usar cangas, mas ai o avisado leitor deverá desconfiar logo. Quanto a maquilhagem, está fora de questao.
Se reparar, muitas vezes encontram-se pequenos grupos de amigas que vao a praia sozinhas e costumam ficar na toalha o dia todo a trabalhar para o bronze. Passam o dia na conversa e a dormiscar ao sol, intervalando com rápidas sessoes de banho. Deste modo, a escolha de local é fundamental. Quando chegar a praia ligue o radar e estude o terreno. Descubra um grupo de meninas que para além de serem atraentes também parecam acessiveis (i.e. simpáticas). Só depois de saber exactamente o seu destino é que deverá avancar, pois nao dá bom aspecto andar as voltas por entre as pessoas a procura do local certo...tem que parecer casual.
As abordagens poderao comecar com os clássicos „tem lume?” ou „vamos ao bar, importam-se de vigiar os nossos sacos” (quando elas acederem, experimente dizer „querem alguma coisa de lá?”), ou com outras estratégias mais elaboradas. O que interessa é que se inicie conversa. Uma vez que na praia nao há muito para fazer, elas tem tempo para conversar, pelo menos quebra a motonia de estarem a tarde toda deitadas ao sol. Caso elas sejam do tipo desportista, o volei é um excelente jogo para o convivio entre sexos (talvez o unico).
Para finalizar, volto a frisar a ideia base a todo tema Engates exposto no blog: neste local elas tem as "defesas anti-abutres" em baixo, verá que é muito mais fácil ter uma conversa e "sacar" alguns sorrisos, telefones ou mail do que em qualquer discoteca.

Sr Joao

quinta-feira, março 11, 2004

"Algumas pessoas querem saber qual é o segredo do nosso longo casamento. É simples: jantamos fora duas noites por semana. Um belo jantar a luz das velas, com musica suave, perfeita para dancar. Ela vai as tercas feiras e eu as sextas."

Henny Youngman
Ambientadores

Regresso agora do meu local de meditacao, onde foram pensados a maioria dos textos d’ A Tasca do Sr Joao. Nao me refiro a um confortável escritório, nem tao pouco a uma esplanada com vista para o mar, mas sim da casa de banho.
Terminada a desova do presunto e quando puxava o autocolismo, deparei-me com o objecto mais mal concebido no universo lavabo-sanitário: o ambientador.
A finalidade do ambientador tem toda a lógica: a merda (cócó para os meninos) cheira mal (já sei que o seu é excepcao, cheira a rosas), e como tal, convém eliminá-lo. Aqui é que reside o grande problema dos ambientadores, eles nao eliminam o cheiro a merda da casa de banho, eles tentam disfarcá-lo com a mistura de outros odores tao intensos e enjoativos como o cheiro do nosso “presente”. Geralmente as fragrancias destes produtos giram a volta de motivos campestres...nunca percebi bem qual o interesse de transmitir a sensacao que acabámos de cagar em cima dum roseiral. Porque a fixacao de transformar a casa de banho num lindo prado florido? Será que se inspiraram no clássico do cinema "Musica no coracao"? Só falta a Julie Andrews abrir a porta do WC e comecar a cantar “The hills are alive with the sound of music” enquanto lhe passa um pedaco de papel higiénico.
Um concelho aos fabricantes: criem um produto que simplesmente neutralize o mau cheiro. Esquecam as fragrancias.

E os anuncios televisivos? Incluem sempre criancinhas muito queridas que mal conseguem subir ao trono e que sorriem para a camara enquanto fazem o seu cócózinho; tudo muito limpinho e bem cheiroso. Será que os publicitários nao comprendem que a esmagadora maioria do publico alvo nao se enquadra no perfil acima descrito? Neutralizar o cheiro emitido por esses petizes é tarefa fácil, o que eu queria era um produto que mostrasse um trolha de 120 quilos a arrear o calhau após um almoco completo (feijoada regada com muita cerveja, sobremesa, café e bagaco) num qualquer restaurante “enfarta brutos”. Se fucionasse com tal peso pesado, concerteza funcionaria com a maioria da populacao.

Sr Joao

quarta-feira, março 10, 2004

"Enquanto houver língua e dedo, não há mulher que meta medo".

- ditado popular -
F.C.P. vs Manchester United

Nos ultimos anos, o F.C.P. conquistou inumeros titulos e vitórias por esses relavados dentro e fora de Portugal. Qual a razao porque este clube que tanto ganha, continua a ter muito menos adeptos e simpatizantes que os seus rivais de Lisboa? A razao está na politica e nas figuras de proa da direccao portista:

Pinto da Costa, arrogante e manipulador. Ganhou grande influencia nos meandros do futebol e utiliza todo o seu poder para pressionar e desequilibrar para o seu lado. Ele é o SISTEMA. Ainda por cima tem a mania que tem piada. Mas ai, a culpa é dos jornalistas (nunca o contestam) que se riem muito e pubicitam sempre as tiradas de P.C. como de humor genial. Ele que vá para para o Levanta-te e Ri contar anedotas ao lado do Fernando Rocha.

Reinaldo Teles, pau mandado de P.C. . Segundo investigacao do ex-jornalista desportivo M. Neves, foram nas casas de alterne deste sujeito que se cozinharam muitos resultados que permitiram a ascensao do Porto na década de 80 no futebol portugues. Vicios de jogo e mulheres, ou dificuldades financeiras eram exporadas pelo "polvo". Os árbitos ficavam a dever favores que só poderiam pagar em campo.

O ódio visceral que estes senhores sentem em relacao aos clubes de Lisboa contagia os adeptos "drogados" com as vitórias da equipa. Assim, é ouvi-los a dizerem que querem ver Lisboa a arder, entre outros mimos aos "mouros". Afinal, parece que o "Porto é uma nacao" aparte do nosso Portugal.
Imagens de festa na Av dos Aliados com o mesmo fervor de uma conquista de campeonato, quando o Benfica perdeu a final da taca dos campeoes europeus com o Milan em 90 ilustram tal ódio. Lembro-me que nesse ano por altura das meias finais em que o Benfica eliminou o Marselha com um golo marcado com a mao, eu estava no Porto. Recordo-me do sofrimento e angustia com que os adeptos portistas falavam da arbitragem num café (um pobre benfiquista quase foi agredido por festejar a vitória).
Nao me quero alongar mais, até porque o primeiro texto do blog fala detalhadamente sobre o tema.

Com estes factos compreendo que muita gente odeie tanto o F.C.P. que torca para que perca nas competicoes internacionais...nao é o meu caso. Ontem vibrei com o golo do Costinha e com a passagem do F.C.P. aos quartos de final. Parabéns ao Porto que tao bem representou Portugal na noite de ontem. Mourinho, cuja arrogancia é desprezivel esteve bem na guerra de palavras com Alex Fergusson. Arrogante por arrogante sempre prefiro o portugues. A campanha de descredibilizacao dos jogadores do Porto e de Portugal feita por Sir Alex e imprensa britanica tiveram o que mereciam...banho de bola no conjunto das 2 maos e uma custosa eliminacao no ultimo minuto.

Desejos de boa sorte ao Benfica. Prevejo que jogará melhor que o Inter nas duas maos, mas fruto da frieza das equipas italianas e dos anjinhos da nossa defesa, seremos eliminados. Espero enganar-me...

Sr Joao

segunda-feira, março 08, 2004

Sondagem

Terminada a primeira sondagem eis os resutados a pergunta "O que acha do blog?"

Dos melhores - 65%
Tem piada - 4%
Básico - 0%
Diarreia intelectual - 9%

Universo: 34 leitores, 9% dos quais de gosto duvidoso.

Durante a presente semana, outra questao: "Qual o melhor local para sexo selvagem?"

Sr Joao

sexta-feira, março 05, 2004

Orgulho é fraqueza disfarçada de força

Angel Boy relata um caso verídico:

O Tiago era um rapaz belo, honesto, humilde, sensível, incapaz de tratar mal um mosquito e simples. A Ana era uma rapariga orgulhosa, dominadora, bela e cruel.
Desde o início do namoro, a Ana ditava as regras. O Tiago deixou de sair com os amigos, dava boleia à Ana para todo o lado, cozinhava para ela, mimava de mensagens ternurentas... ela fazia-lhe ciúmes com os amigos com quem saia (sendo que ele não podia sair com amigas), nunca lhe dizia que o amava (em três anos de namoro apenas disse uma vez “Eu amo-te”), fazia-o esperar horas incontáveis por ela, e ainda o presenteava com atitudes de cabra-que-tira-o-rebuçado-do-papel-aproxima-o-da-boca-do-esfomeado-e-depois-não-o-deixa-comer...
Com efeito, Ana tinha o hábito de dormir nua e roçar o seu corpo no corpo do Tiago, sendo que quando o Tiago saia do sono para a vontade sexual, esta virava-se de costas e quase sempre dizia “Hoje não” rindo-se...
O Tiago aguentou 2 anos e oito meses... um dia quando queria sair com os amigos e ela o proibiu por capricho, ameaçando-o de nunca mais a ver, ele quebrou as regras... estava farto... saiu de casa desobedecendo pela primeira vez à Ana. Sentindo o prazer da transgressão, o Tiago gozou essa noite de liberdade com os amigos que o aplaudiram na decisão firme e sentiu que devia ter doravante personalidade mais forte com a Ana.
Tiago tomou uma decisão. Iria aguardar pelo telefonema de Ana. Testar se ela quebrava orgulho e promessa de retaliação. Um dia, dois dias, três dias, quatro dias, cinco dias... Tiago ia visitando os amigos, agarrando-se a eles como sustentáculo apoio emocional para resistir à tentação de não comunicar com a Ana telefonicamente.
Quis Deus, o destino ou o acaso que Tiago conhecesse uma mulher que era a antítese da Ana nesses dias de espera. Essa mulher era tolerante, meiga, boa-ouvinte, fazendo Tiago questionar-se se os últimos três anos não teriam sido diferentes sem ansiedade, baixa auto-estima e insegurança se a sua parceira fosse outra. O problema não estava nele, estava na Ana.
Aos poucos Tiago foi-se envolvendo com a nova mulher que pela sua personalidade lhe realçava e amplificava os defeitos de Ana. Passado umas semanas, Ana enviou-lhe uma sms seca a dizer “Já acabei contigo, sabes isso... Quero que te encontres comigo e me devolvas as coisas”.
Tiago assim fez. Ana, pela primeira vez denotando insegurança, voltou a dizer a Tiago “Sabes que acabei contigo” à espera de um comentário... Tiago disse “Eu ia dizer o mesmo” disse sorrindo (usando o truque da agressora)... deu as coisas e voltou imediatamente as costas, nem lhe dando tempo para mais...
Pela primeira vez na vida, Ana chorou ao seu lado e pela segunda vez na vida disse” Eu amo-te Tiago!!!!” (desta vez gritando), “Não me deixes, és o homem da minha vida!!!”.
Tiago resistia impassível pensando no mal que ela lhe infligira até que Ana desceu ao mais baixo patamar da humilhação: ajoelhou-se. Tiago fez adeus. Até nunca mais.

Angel Boy

quarta-feira, março 03, 2004

Mulheres permeáveis

O presente texto é uma dissertação, uma demonstração do princípio de que as mulheres estão tendencialmente (as generalizações são sempre cruéis para algumas pessoas) mais imbuídas dos valores da sociedade do que os homens.

1. O valor primordial das sociedades capitalistas - A competitividade.

a)Mercado de trabalho:
Perguntem a qualquer mulher se prefere ter colegas do sexo feminino ou masculino e extrapolem a conclusão óbvia: Mulher vê Mulher como rival.

b)Noite:
Olhem as mulheres na noite. Para quem olham? Sim, para as mulheres!!! Sendo que a maior parte delas é heterossexual, porque será? Porque será que olham especialmente para as mais bonitas, fixando sofregamente todo o pormenor da roupa, dos acessórios, da maquilhagem, das curvas...

2. A mercantilização do homem.

Quando uma mulher olha para um homem, ela tenta sempre aquilatar o seu preço de mercado. Para além da questão da química, da sua personalidade, das suas (in)compatibilidades, há (quase) sempre o factor preço de mercado – aquilo que o homem representa socialmente.
Pelo menos tão importante como o que o homem é; é aquilo que o homem representa – o status, o poder (que como Kissinger disse “é afrodisíaco”), o dinheiro, a beleza... tudo isso são ingredientes que pesam no seu valor, como a marca, o peso, o cheiro de um qualquer sabonete.
Homem que me lês, experimenta andar com uma gaja boa na rua ou na disco e vê como as mulheres olham muito mais para ti e como falam de uma maneira muito mais dengosa do que se estiveres sozinho... Sim, sendo tu a mesma pessoa, vestida da mesma maneira, dizendo as mesmas coisas, é como de fosses duas pessoas diferentes.
A lei da oferta e da procura diz que o preço sobe quando as quantidades procuradas sobem... um homem com muitas gajas atrás dele, tem, assim, um preço mais alto.... tal como o capital atrai mais capital, as gajas atraem mais gajas... e assim os ricos vão ficando... e os pobres mais...

Angel Boy

segunda-feira, março 01, 2004

Engates - parte II

Pelo que já foi enunciado em Engates - parte I, a discoteca nao é de facto dos melhores locais para encontrar companhia feminina disponivel. Entao, qual o sitio onde é 100% garantido conseguir uma mulher de nivel e nunca levar tampas? Qual aquele local onde a priori já sabemos que vamos facturar independentemente do nosso aspecto e nivel intelectual? Nao faco a minima ideia, mas de certeza que nao fica em Portugal.

Neste momento desapontei muitos leitores que esperavam por uma dica mágica, uma informacao que tornasse as suas vidas de frustacao sexual e emocional, numa existencia repleta de sexo selvagem com numerosas ninfomaniacas saidas directamente das páginas (coladas) de qualquer revista Playboy. As minhas desculpas, mas este blog intitula-se a Tasca do Sr Joao, e nao o consultório do Prof. Karamba, onde qualquer milagre é possivel a troco de uns miseros milhares de Euros.

Embora o Sr Joao nao seja milagreiro, tem um coracao nobre e gosta de ajudar o proximo. Assim, durante os próximos tempos irei deixar sugestoes para melhorar e diversificar as vossas cacadas - serao as designadas como Adendas.
A grande vantagem destes locais em relacao as discotecas, é o facto de aqui elas nao estarem a espera de serem abordadas, as conversas fluem naturalmente, sem mecanismos de "defesa", tantas vezes usados na noite. Nas discotecas criou-se a ideia que quando um homem fala com uma dama, tem uma finalidade...curtir/foder com ela naquela mesma noite. Isso inibe o comportamento delas, pois se forem muito simpáticas e receptivas com um estranho, é esperado que passem a segunda fase naquela noite. No que toca as minhas sugestoes, esta pesada responsabilidade nao existe, comeca-se pelo mais puro e inocente flirt, que mais tarde poderá evoluir, caso ambas as partes estejam interessadas.
Após a conversa inicial, onde é necessário justificar porque se abordou aquela dama, está na altura de desenvolver assunto. Qualquer que seja o tema, aconselho que pelo meio da conversa, se introduzam alguns elogios que a valorizem e que a facam sentir-se especial. Atencao, isto deve ser feito na medida certa, porque elogio é bom, bajulacao é péssimo. Para quem consegue, é óptimo faze-las rir, contudo aviso que fazer uma mulher rir nao está ao alcance de todos. Quem nao tem dons de comediante, nao deverá tentar ter graca. Irá fazer fazer uma figura muito triste.
Se o flirt correr bem, fica-se com o contacto e combina-se uma saida para outra ocasiao. Na noite, e já depois de se conhecerem minimamente, torna-se mais fácil e natural passar a fase 2.

Quando o leitor parte para estas aventuras, deve divirtir-se durante todo processo e nao viver obcecado com o prémio final. Um sorriso, uma palavra querida por parte delas deve ser encarado como uma vitória pessoal...imagine, um estranho aborda uma mulher e consegue criar impacto, curiosidade ou interesse durante momentos...esse estranho é voce. Toda a interaccao com elas é uma óptima experiencia, nem que seja pela aprendizagem a nos relacionarmos com os outros, a sair da nossa zona de conforto.

Repare que nao tem nada a perder, uma vez que o resultado nao pode fugir muito destes cenários:

A-Ela interessa-se por si, marcam um encontro. Existe quimica, sao compativeis, estamos perante o inicio duma linda relacao amorosa;

B-Ela interessa-se por si, marcam um encontro. Ela ou voce só querem porcalhada e tem optimas sessoes de sexo selvagem;

C- Ela acha-lhe piada, gostou da conversa. Contudo nao o suficiente para dar contacto (ja deve ter namorado ou é muito timida). Talvez de o mail;

D- Ela nao da muita conversa, nao se mostrando interessada. Contudo valorizou o seu gesto e recusou a sua abordagem com delicadeza e simpatia. Nao forcar.

E- Nao está interessada e é indelicada, revelando um comportamento arrogante. Aqui estamos perante o lixo da mulher portuguesa: as cabras convencidas. Poderia escrever páginas sobre o asco que sinto por estas gajas e seu comportamento, contudo isso seria dar importancia a uma espécie inferior de mulher. Nao se deve sentir mal pela reaccao delas, pelo contrário deve ficar feliz de nao perder tempo a aturar estas putas.

Pense para si, nestas cinco hipóteses, há alguma que o prejudique? Nao me parece. E que lhe possa trazer beneficios? Mais de metade.

Assim, nada de preocupacoes com possiveis falhancos...divirta-se, valorize os casos de sucesso e aprenda as licoes com os insucessos.
LET THE GAME BEGIN!

Sr Joao

quinta-feira, fevereiro 26, 2004

Updates

A Tasca do Sr Joao está a modernizar-se, agora foi instalada mais uma inutilidade: sistema de votacoes. Em cada semana será colocada uma questao para vossa consideracao. Para comecar, e nao fugir a regra, temos a básica "O que acha do blog?". Agradeco o feed-back.

Quanto a segunda parte do post Engates, estou a espera de mais dicas dos leitores relativamente aos melhores locais para a prática do engate. A tasca pretende ser interactiva e contar com a vossa colaboracao na criacao dos textos. A parte II está para muito breve.

sexta-feira, fevereiro 20, 2004

Engates - parte I

Há muito macho que ainda pensa que o melhor local para o "engate" é a discoteca. Na minha opinião, e utilizando uma expressão popular, isso é chão que já deu quecas.
Em qualquer discoteca do nosso pais o cenário é (quase) sempre o mesmo:

-Matilhas de homens a procura duma presa feminina que satisfaça o seu ego de macho garanhão por aquela noite;
-Grupo de mulheres, que sendo vitimas de assédio constante, criam uma "barreira anti-abutre", sistema que as transforma em seres frios e secos, sempre que interpeladas por qualquer elemento do sexo masculino.

Na pista, quando algumas donzelas se aventuram a dançar, em seu redor junta-se logo um grupo de homens que dava para formar um plantel duma equipa de futebol. Esta "equipa" utiliza todas as (gastas) técnicas de sedução na procura desesperada por um olhar ou sorriso que lhe diga "estás no caminho certo".
Em outros posts fui bem claro quanto ao prazer que as mulheres sentem em relacão ao poder que tem sobre os homens quando saiem a noite...mas é obvio que tudo o que é demais, enjoa. Este constante assédio que elas sofrem nas discotecas, torna-as muito menos receptivas aos avanços masculinos, fruto da saturação de abordagens falhadas.
Se com este cenário, o engate é dificil, não nos podemos esquecer do comportamento delas em grupo. Quando alguma dama baixa as defesas e "dá bola", é rapidamente "protegida" pelas amigas, que por ciúme (competição feminina) impedem o sucesso do engate. É óbvio que se a menina estivesse só, estaria receptiva, mas com a pressão de grupo, tem que empinar o nariz e ignorar quem a interpelou.
Obstáculo também importante é o barulho ensurdecedor da música, que torna qualquer conversa numa gritaria desenfreada "QUE...NAO PERCEBI...AH OK, JÁ PERCEBI (mentira)" e que desgasta qualquer comunicador.

Assim, nas discotecas só os gajos com muito estilo, muito dinheiro ou muita sorte, conseguem engatar mulheres apeteciveis. Os outros pobres caçadores ou se contentam com a amiga feia ou ficam a ver navios. Em muitos casos, a procura incansável por uma presa (e constantes insusessos), torna o nivel de exigencia muito baixo a partir de certa hora. É triste observar que, fruto da frustação de caçadas falhadas, misturado com o alcool ingerido, eles abordem verdadeiros monstros com quem nunca falariam em situações normais. O pior é que elas, sentindo um prazer enorme de passarem de rejeitadas na vida do quotidiano a cobiçadas no estranho universo da discoteca, lhes dão enormes tampas.
Tenho alguns amigos que dizem "noite em que vá a uma discoteca e não facture, é uma noite perdida...para conseguir falar com elas tenho que estar com os copos". Isto é de uma tristeza enorme, ainda mais quando é rarissimo estes sujeitos facturarem quando saiem a noite. Assim, segundo o raciocinio deles, quase todas as noites que saiem sao perdidas, servindo apenas para se embebedar e tentar esquecer a frustação dos engates falhados.

Pelo que foi acima enunciado, as discotecas não são o local ideal para encontrar alguém. São muitos obstáculos para atingir o objectivo. Então, onde procurar? Agradeço a ajuda dos leitores para elaborar uma lista decente. Lá para segunda feira escreverei sobre isso em Engates - parte II.

Sr João

quinta-feira, fevereiro 19, 2004

Sê tu próprio

O Zé era um rapaz gordo, feio, com poucos dotes de oratória, educado, amigo, puro, humilde, trajando sem gosto e sem classe, desprovido de charme... No seu grupo de amigos era o único que com 25 anos nunca houvera “fodido uma gaja”; sequer até dado um beijo.
O seu grupo de amigos – de bairro – era constituído por gajos machões e machistas (qualificativos que andam sempre aos pares) que se conheciam desde infância e cujas vidas eram compartilhadas por todos num espírito de grupo sem segredos.
O Zé assim como os restantes membros do grupo não tinham vida pessoal para além desse grupo (mesmo as namoradas se integravam no grupo), todos sabiam que o Zé que andava sempre com eles de café em café e praia em praia e bar em bar, o Zé não tinha tido nada com mulheres...
Pressionado pelo grupo que sistemática e paternalmente o aconselhava arranjar uma gaja, enfim a “pinar” depressa – condição de pertença ao grupo qual insígnias de piloto de aviação; vergonha social essa que ano após anos se abatia sobre o Zé como um fardo que fosse engrossando diariamente sobre as suas costas...
Até que um dia o Zé revelou à mesa de um café: “Ando a comer a minha empregada!!!”
Uma vez que o Zé e o seu grupo não tinham amizades e vida fora do grupo, a empregada era a única pessoa que em teoria o Zé poderia “comer” e que não teria de levar para o grupo pois as empregadas não se apresentam, comem-se no local do trabalho, o mesmo é dizer em casa.
Até ao dia em que um membro do grupo foi a casa do Zé e viu num relance uma mulher vestida de empregada - gorda, de bigode, com mais de 60 anos. A mentira era demasiado óbvia.
As pressões de grupo são terríveis e nalguns casos levam as pessoas mais vulneráveis e frágeis a forjarem personas... o que inevitavelmente cria sentimentos de conflito dentro dos indivíduos moldados... é por isso que Shakespeare disse que o mundo era um palco e nós somos todos actores...

Angel Boy
Número 100

É com enorme prazer que a Tasca do Sr Joao comemora a centena de visitas ao blog desde sexta-feira, dia 13 de Fevereiro 2004. Agradeco o tempo dispendido na leitura dos textos, esperando que tenham gostado ou odiado, mas que nao tenham ficado indiferentes.
Aproveito para pedir uma participacao mais activa nos comentários, de modo a receber um maior feed-back dos leitores.

Bem hajam!

Sr Joao

quarta-feira, fevereiro 18, 2004

Peds horribilis

Waldorf colocou a seguinte questao no post Pés egipcios e pés gregos:

"Ó sr João, as raparigas da minha idade têm os pés cheios de calos. Também há alguma tipologia para este tipo de coisas?"

A tipologia desses pés é cientificamente designada por peds horribilis. Uma vez que A Tasca do Sr Joao tem por missao praticar o bem, auxiliando os leitores nas questoes importantes da vida, deixo em seguida um tipo de abordagem as donzelas com este tipo de pés:

Com um ar sério e uma voz meiga diga-lhe: "Nao pude deixar de reparar que os seus pés estao cheios de calosidades, facto que transformou, o que outrora foi uma obra de arte do divino criador, num cenário repugnante de pele detiorada."
Entao, aproxime-se do ouvido dela e sensualmente segrede "coloque numa bacia uma parte de vinagre e duas partes de água quente. Deixe os pés de molho durante 15 minutos, que os calos cairao por si, basta puxá-los com a unha."

Para o impacto ser total, convém transportar consigo um kit composto por uma pequena bacia, uma garrafa de vinagre e um termo com água quente. Vai valer o esforco.


PS: Para uma prenda inesquecivel naquele dia especial, ofereca a menina Birkenstock. Ela ficará completamente derretida!

terça-feira, fevereiro 17, 2004

Canal 18

Gosto de pornografia. Nunca sarapintei as cadeiras do Olimpia, nem tenho garrafa no bar do animatografo do Rossio, mas da-me tusa assistir a filmes porno. Ate há alguns anos atras, o acesso a pornografia estava reservado apenas a quem tinha coragem de alugar um filme no video clube, sujeitando-se ao rótulo de rebarbado, ou de quem tinha um amigo na escola que roubara umas cassetes ao pai e que alegremente espalhava a semente da porcalhada nas mentes dos seus colegas. Agora, com o canal 18, assistimos a democratizacao do anal, da penetracao dupla, dos botoes de rosa e afins...está la tudo, basta ligar o inocente canal VIVIR depois da meia noite.
E interessante assistir a metamorfose deste canal. De dia, podemos assistir a programas como:

-"?Que me pongo?", onde um panilas espanhol ensina as donas de casa a bordar e a escolher as suas roupas;

-"Estilos", cópia do Caras Noticias, em que Biba Pita juntamente com o vaquedo do jet set nacional durante 1 hora nos bombardeia com o glamour de festas e cocktails frequentados sempre pelos mesmos cromos. Fundamental: falar pelo nariz como se estivesse com um ataque de renite alergica, muitos sorrisos amarelos e dar só um beijinho;

-"Festa Brava", magazine tauromaquico que glorifica as touradas espanholas.


Quando passa da meia noite, a "festa brava" é outra: "Que me pongo?" Uns em cima dos outros num festim de penetracoes e chupadelas num "estilo" animalesco. Durante cerca de 1 hora o espectador pode assistir a um espectaculo das mais variadas praticas de chavascal. "Fazer amor" é proibido, aqui fode-se a grande e a francesa.
Esta mudanca repentina do cariz da programacao, pode originar situacoes embaracosas para o espectador mais destraido. Transcrevo esta queixa deixada num site por uma espectadora traumatizada:

"Certa noite de sabado estavamos todos a ver tv a noite, já um pouco tarde, todos a ver tourada. Bem, a tourada acabou e fomos todos comer qq coisa a cozinha, tal nao foi a nossa "vergonha" quando vimos o programa que iria dar a seguir a tourada, cenas de puro sexo ali, entre nos estavam criancas! Mudou-se o canal e nao se falou mais nisso..."

Mas de seguida, esta crista senhora confessa o seu pecado:

"Por curiosidade já vi esse mesmo programa numa outra noite, mas mudei, pois aquilo nao e o sexo que eu conheco e nao acho nada atractivo o programa exibicionista e que deixa ver demais."

"Nao e o sexo que eu conheco?" Ó minha senhora, experimente mudar a sua posicao inerte esparramada na cama de pito para cima a espera que o seu marido faca o trabalho todo, enquanto pensa no que vai preparar para o almoco do dia seguinte.

Adiante...
É curioso constatar que os milhares de filmes porno existentes obedecem a certas regras que nunca se quebram, por mais arrojado que seja o realizador. Destaco algumas:


SEQUENCIA DA ACCAO: Qualquer que seja o filme e o numero de participantes em cena, o acto sexual comeca sempre por uma mamada de 10 minutos. Ela chupa, mastiga, lambe o vergalho do actor com o mesmo gosto que uma crianca se delicia com um calipo numa tarde quente de verao. De seguida vem a bela minetada; nos filmes mais machistas esta cena nao aparece porque "macho que e macho nao faz minetes, so deixa que lhe facam bicos" (nao sabem o que perdem). Por esta altura (ja passaram 15 minutos), é tempo de acabar com os perliminares e ir directo ao assunto: comeca-se com o estilo missionario, depois sessao de montaria, segue-se a fundamental canzana terminando com uma enorme enrabadela. Segundo as regras, a mulher tem que ginchar que nem uma porca, porque senao nao está a ter prazer.
O grande final, e já um classico: chuva de meita na cara da actriz, que fecha os olhos no momento do disparo para nao ficar zarolha.


SAPATOS: Dizem os estudos cientificos publicados em revistas da especialidade, que a zona do cerebro referente aos pes esta muito proxima da zona responsavel pelos estimulos sexuais. Parece que os realizadores de filmes porno adoptaram a Science et Vie como a sua Biblia, pois em qualquer cena de sexo, seja na cama, no banho, na cozinha ou na casota do cao, a dama tem que estar sempre calcada. O tradicional salto alto continua a ser um must, devendo permanecer nos pés da jovem ate ao banho de esperma final.


GAJAS FACEIS: Imagine que na vida do quotidiano, as mulheres seriam tao fáceis como as actrizes porno. Acho que o pais parava, ninguem trabalhava, estava tudo no escritorio em cima da fotocopiadora em alegres sessoes de pinocada em grupo. A verdade é que a vida real nao tem nada a ver com os filmes, onde basta um gajo espirrar e ela ja esta a abrir a berguilha para o belo boquete.


SILICONE: Os homens gostam de marmelos bem grandes, isso ninguem pode negar. Ha quem diga que a semelhanca entre as mamas e a playstation e que ambas foram concebidas para as criancas, mas sao os pais que bricam com elas. É obvio que o Criador nao foi generoso com a maioria das damas, pois sao raros os espécimes com peito 40 e uma cintura fina como a de uma bailarina. Felizmente, neste caso, a ciencia foi aplicada ao servico do bem e brindou-nos com as mamas de silicone, que muitas vezes desafiam as leis da gravidade (como é que aquela esguia rapariga aguenta 35 kg de plastico enfiados dentro do peito sem cair?) e que permitem um facil levantamento do mastro do espectador.


ARGUMENTO: O argumentista deve ser o tipo mais mal pago da industria, porque ninguem liga a historia. Aliás, ninguem ve um filme inteiro duma so vez. Um filme porno é para se ir vendo.


CANALIZADORES:Neste tipo de filmes há sempre uma necessidade de chamar um canalizador ou carpinteiro para reparar a casa. Quem pede auxilio é uma jovem senhora que vive só, em pleno cio, que por acaso tem vestida uma roupa proveniente do catalogo da sex shop mais próxima. O trocadilho "a minha ferramenta tapa qualquer racha" está muito gasto, mas continua na moda. Ser canalizador no universo porno é a melhor profissao do mundo.

Sr Joao


Considera-se um especialista da industria porno? Ja viu todos os filmes da Jenna Jameson, Maya Gold e C. Canyon? Sabe que Houston 500 nao é uma corrida de Automoveis nos E.U.A.? Lembra-se quando Ron Jeremy nao usava bigode? Escreva-me.

segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Pés Egipcios e gregos

Já que estamos numa de pés, lembrei-me de referir um conceito desconhecido para muita gente e que gera sempre interesse quando referido junto das mulheres. Esta técnica será muito util para os fetichistas de pés, mas também é interessante para quem gosta de causar impacto junto das mulheres. Refiro-me é claro, a teoria dos pés egipcios e gregos.
Para comecar fica a explicacao:

PÉS EGIPCIOS: O formato dos dedos é em "escada", ou seja, o tamanho dos dedos vai diminuindo continuamente desde o dedo grande até ao mindinho.
PÉS GREGOS: O dedo médio é do mesmo tamanho, ou em alguns casos, maior que o dedo grande. O efeito escada nao existe.

Nao sei bem porque (talvez por falta de assunto), mas há alguns anos lembrei-me de mencionar a teoria dos pés egipcios e gregos a um grupo de mulheres, e qual nao foi o meu espanto, o feedback foi muito positivo. Desde entao, e SÓ QUANDO CONSIDERO APROPRIADO, espevito a conversa com este tema. Caso o leitor pretenda experimentar, eis as instrucoes:

(Versao sandálias) Espere uma altura em que a conversa esteja a ficar desinteressante, e após um ligeiro silencio, que permite a mudanca de assunto, aponte para os pés dela e diga de uma forma natural e séria: "Nao pude deixar de reparar que os teus pés sao egipcios/gregos".
A reaccao dela será "O que é isso?", enquanto olha para os seus pés tentando perceber o porque de tao singular afirmacao. Após alguns instantes de silencio em observacao, seguido de "É impressionante, ainda por cima formato egipcio/grego perfeito", ela estará curiosissima, sorrindo e a pedir explicacoes.
Ai, o leitor, detendo o poder da informacao (poder é afrodisiaco para as mulheres), explica a sua teoria tomando como exemplo o pé da menina. Os verdadeiros fetichistas (e descarados) poderao mexer no pé dela enquanto procedem a explicacao, pois ela estará tao espantada com o rumo que a conversa tomou, que já consideram natural pegarem no seu pé (mas beijá-lo nao é!).

(Versao sapato fechado) Embora menos espectacular que a versao acima enunciada, o leitor pode sempre perguntar "Estive a pensar, os teus pés sao egipcios ou gregos?" Com a dose certa de "lata", elas até descalcam o sapato para saber a que grupo pertencem.

Por experiencia própria, em todas as vezes que abordei este assunto, nunca me dei mal. Já tive reaccoes do simples "Ah curioso", até "lindo, como sabes essas coisas?", enquanto sorriam e lancavam olhares insinuosos. Isto porque estamos a abordar um assunto novo, inesperado de uma forma séria, facto que nos envolve numa áurea de mistério e sabedoria. É muito importante a maneira como se expoe a teoria, tem que ser de uma forma séria, pois estamos a falar de factos cientificos.
Para os mais imaginativos, podem inventar que as pessoas com pés egipcos tem uma personalidade X, enquanto gregos tem Y (adaptar as caracteristicas da pessoa).
Convido-o a experimentar numa próxima conversa. Garanto que elas nao ficarao indiferentes.

PS: Nao me lembro onde aprendi esta teoria, mas há alguns anos lia a revista Pró-teste enquanto estava na casa de banho a mandar um fax ao primeiro ministro. Ai deparei-me com um artigo sobre ténis; lá explicava quais os ténis mais apropriados para cada tipo de pé, referindo egipcios e gregos. A TEORIA É CIENTIFICAMENTE COMPROVADA. Se tiverem razoes de queixa, escrevam para a DECO.

Sr Joao
Pés: Sensualidade vs KEDS

Nao sou fetichista por pés, mas também nao posso esconder que me agrada muito ver uma mulher bem calcada. Dizem os psicólogos que a área do cérebro responsável pelos estimulos sexuais está muito próxima da zona referente aos pés, logo é perfeitamente natural que imagens de pés (calcados/descalcos) esteja incluida nas fantasias de muito macho. Os próprios realizadores de filmes eróticos/pornográficos sabem muito bem desta caracteristica masculina. Assim é natural ver em qualquer filme deste género, as damas usando longos saltos altos em qualquer cenário: na cama, na piscina, na selva, no gelo, no deserto...
Pessoalmente gosto de ver um pé feminino bem calcado. O que entendo por bem calcado? No verao, adoro a bela sandália de salto com tira que mostre os dedos, e se juntarmos um leve vestido que esponha umas belas pernas, entao estamos perante o numero 1 do meu top de preferencias. Já quando o tempo arrefece, gosto muito de ver botas de salto alto, elemento que transmite elegancia e sensualidade. Para completar o quadro, uma saia de sarja e umas meias (está frio), fazem o servico.
Já referidas as minhas preferencias, vou agora apontar, o que na minha opiniao é um tremendo erro no calcado feminino e que devia ser banido de todas as sapatarias: os KEDS. Para os mais desatentos, os ténis KEDS, sao aqueles ténis brancos, leves e muito populares entre as meninas quando pretendem um visual casual e desportivo. Assim, muitas vezes apresentam o conjunto: camisa/camisola, calcas de ganga e os malditos ténis KEDS. Este visual nem é carne nem peixe: ou a jovem vai fazer desporto, e como tal equipa-se devidamente com roupa e ténis apropriados (também pode ser muito estimulante), ou entao está vestida para a vida do quotidiano, logo nao necessita de ténis.
Os ténis tipo KEDS sao desprovidos de qualquer sensualidade, ainda mais quando a dona nao tem o devido cuidado de os manter sempre impecavelmente limpos. Infelizmente, assiste-se a muitas jovens que apresentam ténis já algo gastos com o tempo, ostentando um tom amarelado ou até acastanhado, facto que ainda piora o já fraco conjunto. Nunca experimentei este tipo de calcado (sou muito macho!), mas um argumento que aceito a seu favor será o conforto. Contudo, se procurarem bem, irao encontrar sapatos que aliam beleza/sensualidade ao conforto, basta um esforco para encontar o tal par. E se só estao interessadas em conforto, ignorando qualquer aspecto estético, entao apostem nas pantufas ou naqueles sapatinhos muito confortáveis utilizados pelas velhinhas. Nao há nada mais confortavel.

Sr Joao

sexta-feira, fevereiro 13, 2004

Modernices

A pedido de muitas familias, a tasca do Sr Joao instalou um contador no blog. Agora também é possivel ao leitor comentar mais facilmente as alarvidades aqui publicadas...basta um click, porque a sua opiniao conta.

quinta-feira, fevereiro 12, 2004

A arte da especializacao

Angel Boy dá licoes de Marketing...

Cada pessoa dentro das seis mil milhoes que compoem o mundo tem idiossincrasias proprias, direi mesmo unicas... É esse o sal das relacoes humanos, descobrir na intimadade da amizade ou do namoro os pormenores, a beleza unica de cada um de nós, escondida por detras das convencoes sociais, das pressoes de grupo, do pensamento da maioria, do politicamente correcto...

Dou mais valor a uma pessoa que assuma a sua virgindade aos 20 e muitos do que a uma pessoa que diga que fode quarenta gajas num ano... Acho a primeira mais mascula do que a segunda porque mais forte.

Mas enfim, isto para dizer que cada um de nos tem na sua propria voz, a sua propria verdade...

No relacionamento homens/mulheres devemos sempre sentir que somos nos, nao imitar estilos... cultivarmos a nossa voz mais propria como fazia rodger doger no filme homonimo...

Existe um principio de marketing que é neste contexto importante. Se alguem tiver um carro para vender, nao deverá dizer que ele é simultaneamente veloz e agil próprio para playboys aventureiros e seguro e robusto para uma senhora de idade que priveligie a cautela... se houver um carro que so faca a campanha pelo lado da aventura e outro pelo lado da seguranca, o carro que pretendia chegar aos dois publicos-alvo acabara por ser preterido pelas outras duas campanhas.

O mesmo para homens/mulheres... o homem que queira ser intelectual, desportista, beto, freak, que pretenda comer maduras e pitas, tias e alternativas... acabará por

(conclusao óbvia)

Angel Boy

quarta-feira, fevereiro 11, 2004

Máquina fotográfica

Anda por ai um grupo de "cacadores" noctivagos que descobriu uma nova arma para as suas cacadas em discos e bares: a maquina fotografica digital.
Esta nova técnica demonstra pleno conhecimento duma caracteristica feminina bem enraizada, e que por muito que disfarcem, nao conseguem esconder: a VAIDADE. De facto, as mulheres quando saiem a noite, produzem-se para impressionar (principalmente) as outras mulheres e também os homens. Assim é perfeitamente natural que quando qualquer gajo se aproxime, de maquina em riste acompanhado por um sorriso, elas se sintam lisongeadas. A técnica é seguidamente exempleficada:

Ele:"quero tirar uma foto tua, importas-te?"
Ela:"Ahh...porque eu? Nem gosto de fotografias, fico sempre mal", enquanto se penteia e faz a pose mais sensual que consegue.
Basta uma ligeira insistencia "Vá, se ficar mal, apago"
A foto é tirada.

A primeira fase foi concluida com sucesso. Segue-se sacar o numero de telemovel e mail:

Ele: "Ficaste tao bem. Vou mandar-te por mail. Qual a morada? (aproveitar para perguntar se tem msn). Já agora o telemovel, porque as vezes os mails falham e eu quero muito que fiques com a tua foto".

Missao cumprida.

E porque esta aproximacao resulta tao bem, destacando-se de outras formas de abordagem? Porque aqui tudo é feito em funcao do interesse dela: a foto é dela, facto que estimula o ego (foi a escolhida), solicita-se o mail e telefone para o bem dela, uma vez que o "presente" tem que chegar ao destino. Tudo isto é feito duma forma muito inocente, facto que as faz baixar as armas "anti-abutres".

Esta aproximacao é óptima para quebrar o gelo, depois podem tirar-se mais algumas fotos e iniciar uma longa conversa. Se forem "despachados", liguem o radar e descubram a próxima victima da vossa objectiva.

Nota final: Os telémoveis com camaras digitais incorporadas, embora possam desempenhar a funcao, nunca terao o impacto duma camara genuina. Quando elas vem a camara sentem-se especiais, como se estivessem a posar para as revistas cor de rosa.

Sr Joao

quinta-feira, janeiro 29, 2004

Gordas vs magras

É uma pena que a sociedade, instigada pela comunicacao social, glorifique a magreza esclética feminina. Grande fonte de inspiracao dos nossos ideais femininos é, claro esta, a moda. Modelos anoréticas, cujo almoco é religiosamente vomitado pia abaixo, representam a "mulher boa, cheia de estilo". Ao mesmo tempo, é crucificada a mulher rolica, gordinha, que nao se encaixa nos padroes de beleza actuais. Obviamente que quando me refiro a "rolica", nao quero dizer "baleia que deu a costa", mas sim, aquelas mulheres que sao cheinhas, possuidoras de, e cito um amigo, "...um bom par de mamas e um cu potente para a chapada"...
Portanto, meu caro leitor, nao se deixe levar pelo politicamente correcto e pense "Afinal que tipo de mulher me dá pica?". Na maioria dos casos nao será certamente as que "pesam 40 kg e que tem os ossos espetados. Nao esquecer que devem ser lisas como uma tábua." Mas essa descricao corresponde a grande parte das modelos que nos invadem os lares atraves dos magazines de moda, programas do social, ou através do maior bastiao da anorexia, o Fashion TV.

Vantagens da gorda: Para a porcalhada nao há melhor. Tem muito por onde agarrar e tudo está em movimento, optimo para a chapada.

Vantagens da magra: O seu corpo permite as mais variadas posicoes. A imaginacao é o limite...

Espero que o estimado leitor nao interprete as minhas palavras como defensoras da obesidade e celulite. Se há coisa que me irrita, é o lascismo com que as jovens mulheres lusitanas tratam do seu corpo. Elas vivem obcecadas com os seus corpos, procurando todas imperfeicoes, mas accoes para as corrigir...poucas ou nenhumas. Vida sedentária, falta de exercicio, os constantes adiamentos duma alimentacao saudável ("faco dieta depois do Natal") e um apetite insaciável por bolos e sobremesas, estao a tornar as nossas mulheres obesas. Mesmo as magras, conseguem arranjar espaco para o seu saquinho de celulite.
E no Verao é ve-las, a esfregar desesperadamente doses industriais de cremes, a procura dum milagre que as torne apresentáveis para a praia. Cuidem do corpo todo o ano e verao que nao sao precisos milagres.
Assim, as rolicas a que me refiro, sao aquelas gajas que até podem ter uma estrutura larga, mas que tem o minimo cuidado com o corpo...é gordinho, mas é rijo. Isso, meus amigos, dá tusa...

Sr Joao

quarta-feira, janeiro 28, 2004

O que queres de mim

Angel Boy fala-nos da sua experiencia pessoal:

Para aquele espécie de homem que tem a tripla condição de não gostar de amarras, gostar muito de mulheres e ter o chip dos escrupúlos... existe uma pergunta desconcertante da parte de algumas mulheres que os deixa knock-out:
- O que é que tu queres de mim?
O dilema está em que como esta espécie tem escrupúlos não é capaz de forjar sentimentos ou fazer falsas promessas para obter o que realmente quer – sexo temperado de uma dose q.b. de afectos. Mas por outro lado, a carne afigura-se-lhe uma tentação irreprimível...
Existirá uma resposta, uma porta de saída que permita simultaneamente comer a gaja, ficar com a consciência que não se alimentou falsas esperanças e deixá-la momentaneamente mais sossegada e crente da nossa boa formação?

A RESPOSTA É: EXISTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Indicação prévia, a frase deve ser dita de forma meiga e pausada, olhos nos olhos, acompanhada do nosso melhor sorrisso e um beijo terno nos lábios.

A frase é ...............

“As coisas fluem naturalmente...”

Angel Boy
A tribo da bola

Existe um grupo de homens na nossa sociedade que construiram toda a sua vida social em torno do futebol. Conheco bem varios desses especimes, que quer actuando em bando, quer individualmente, tem uma coisa em comum: sao doentes da bola. Talvez alguns exemplos possam esclarecer como se comportam e interagem estes elementos.
Comeco por citar o caso do Sr N. Este individuo vive sozinho e tem como principal ocupacao do fim de semana acompanhar integralmente os varios campeonatos da Europa. O sr. N. instalou uma antena de rádio gigante em sua casa para poder captar os relatos da primeira e segunda liga espanhola. Assim, em qualquer tarde de Domingo em casa do sr. N., o panorama e o seguinte: Sport tv ligada sem volume, rádio renascensa e radio espanhola em alto volume. Os resultados sao religiosamente anotados num caderno que contem tabelas das diversas ligas e várias divisoes da Europa.
Outros exemplos menos extremos, mas igualmente preocupantes sao protagonizados por um vasto grupo de individuos que passa as tardes num café a falar exclusivamente de bola. Trata-se dum grupo numeroso facilmente identificável (é a mesa que nao tem gajas), cujo tema de conversa gira a volta dos casos de futebol. Em pano de fundo encontra-se uma televisao ligada na Sport tv transmitindo um qualquer jogo em diferido da liga espanhola. Uma vez que o tempo dispendido em tal exercicio e enorme, as conversas tem que abranger as várias divisoes do futebol europeu e ainda futsal.
Esta especializacao e cristalizacao em torno do tema futebol cria obstáculos a relacao com o mundo exterior. Sem a hipotese de conhecerem gajas, viram-se cada vez mais só para este grupo masculino, e como tal é impossivel a situacao mudar. Gera-se um perigoso ciclo vicioso.
Uma namorada faria maravilhas a estes individuos. Iriam aprender a falar de outros assuntos, comecariam a ter sexo, e a descobrir que existe muito mais para além do pontapé na bola. Iriam por sua vez conhecer mais gajas e contactar com outro tipo de pessoas. Outros interesses poderiam surgir: cinema, teatro, politica...tudo é possivel. Mas como quebrar o terrivel ciclo em que se encontram? Tavez um dia acordem e reparem que o tempo passou e tem estado a fazer a mesma coisa e a ter as mesmas conversas ao longo dos anos. Esperemos que nao seja tarde...

Sr Joao